Suplementos durante a gravidez: o que você pode e não pode tomar

Este é artigo serve para auxiliar as mulheres grávidas que suplementos são seguros e que podem ser tomados durante uma gravidez e suplementos que devem ser evitados a todo custo.

Este artigo não substitui a consulta a um médico especialista. Se você está grávida, consulte seu médico antes de incluir qualquer coisa nova em sua dieta, incluindo suplementos, chás, ervas, temperos, etc.

gravidez suplemento

Porque tomar suplementos durante a gravidez?

Tomar quantidades adequadas de nutrientes é importante em qualquer etapa de nossas vidas, mas durante a gravidez, essa necessidade é muito maior. O corpo da mulher precisa de mais nutrientes durante a gravidez para garantir que tanto a mãe quanto o bebê continuem saudáveis, evitando eventuais complicações.

Durante a gravidez, o quantidade de macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) que a mulher precisar consumir aumenta significantemente. Um exemplo disso é o consumo de proteínas.

Uma mulher precisa ingerir diariamente cerca de 0.8 gramas de proteínas por peso corporal (ex.: ), mas durante a gravidez esse valor aumenta para 1.1 gramas ().

Exemplos:

Uma mulher com 70 quilos tem que tomar 56 gramas de proteína por dia (70 vezes 0.8 gramas).

Uma mulher grávida com 70 quilos teria que tomar 77 gramas de proteínas por dia (70 vezes 1.1 gramas).

Fonte: (ELANGO, BALL, 2016)

Porém, a necessidade de consumir mais micronutrientes como vitaminas e minerais aumenta muito mais do que macronutrientes. Vitaminas e minerais apoiam o desenvolvimento do feto e as mudanças do corpo da mulher em cada estágio da gravidez e são necessários para funções críticas como crescimento celular e sinalização celular. (GERNAND et al., 2016)

Algumas mulheres conseguem cumprir essas novas exigências nutricionais seguindo uma dieta bem planejada durante a gravidez, mas outras não. As razões que levam grávidas a tomar suplementos são várias, entre elas:

  • Restrições de dieta: mulheres que seguem algum tipo de dieta mais estrita, como a dieta vegana, ou que tem intolerância ou alergia a alguns tipos de alimentos (FOSTER et al., 2015) (NYARADI et al., 2013).
  • Deficiência nutricional: exames de sangue podem indicar a falta de certos nutrientes durante a gravidez e por isso as gestantes acabam tendo que tomar suplementos para corrigir essa deficiência. Resolver esse problema é importantíssimo. Uma deficiência de ácido fólico, por exemplo, por causar sérios problemas no bebê (SAFI, JOYEUX, CHALOUHI, 2012).
  • Hiperêmese gravídica: essa complicação causa náuseas e vômitos constantes que podem levar a perda de peso e a deficiência nutricional. A hiperêmese gravídica é tratada com suplementação de tiamina (vitamina B1) (KANTOR et al., 2014).
  • Fumar: mesmo os médicos repetindo exaustivamente que mulheres não podem fumar durante a gravidez, algumas não seguem essa recomendação crucial. Como consequência, fumar causa deficiência de certos nutrientes como vitamina C e ácido fólico (VARDAVAS et al, 2008).
  • Gravidez múltipla: mulheres grávidas de gêmeos, trigêmeos, etc, precisam de mais nutrientes que mulheres que estão esperando apenas um bebê. Neste caso, a suplementação é necessária para garantir que tanto a mãe quanto os bebês tenham todos os nutrientes necessários para manter-se saudáveis.
  • Mutações genéticas: grávidas com algum tipo de mutação genética como a MTHFR podem ser obrigadas a tomar suplementação para evitar problemas durante a gravidez (GREENBERG et al, 2011).
  • Dieta pobre: é a causa mais comum. Gestantes que comem muito pouco ou que comem mal, consumindo alimentos de má qualidade nutriocional (fast-foods, doces, refrigerantes) acabam precisam tomar suplementos durante a gravidez para resolver esse problema.

Por essas razões, as mulheres grávidas acabam tendo que tomar suplementos. Porém, não custa nada lembrar mais uma vez, só tome suplementos se o seu médico recomendar.

Suplementos seguros para tomar durante a gravidez

Nesta seção, iremos listar suplementos que são seguros e que podem tomar durante a gravidez. A maioria do suplementos aqui listados são recomendados pelos médicos assim que você inicia o pré-natal.

Lembrando que é importantíssimo tomar suplementos que sejam de qualidade, confiáveis. Infelizmente, falsificações de suplementos não são raras e mesmo havendo orgãos públicos responsáveis por garantir que isso não ocorra, como a Anvisa, ainda assim, muitos produtos de má qualidade acabam chegando até o consumidor. Por isso, abra bem o olho antes de comprar e evite produtos de qualidade duvidosa.

Multivitamínico pré-natal:

Os multivitamínicos pré-natais são suplementos criados especificamente para grávidas. Eles tem quantidades extras de micronutrientes para garantir que as futuras mamães tenham tudo que precisam para ter uma gravidez sem complicações.

Estudos mostraram que tomar um suplemento multivitamínico pré-natal reduz os riscos de um nascimento prematuro (CATOV et al., 2011) e também da gestante sofrer com um disturbio chamado pré-eclâmpsia (BODBAR et al., 2006).

Ácido fólico

O ácido fólico, também chamado de vitamina B9, é importantíssimo durante a gravidez, já que ele desempenha um papel importante no crescimento e desenvolvimento fetal (MOLLOY et al. 2008).

O ácido fólico pode ser obtido através da dieta (vegetais como brócolis, lentilhas, aspargo e espinafre são ricos em ácido fólico), porém mulheres que não seguem uma dieta equilibrada acabam tendo que recorrer a suplementação para evitar deficiência deste nutriente essencial.

É recomendado que mulheres tomem 600 ug de ácido fólico por dia para evitar que os bebês nasçam com defeitos de tubo neural como espinha bífida e anencefalia e problemas congênicos como fissura labiopalatal, além de problemas cardíacos (DE-REGIL et al., 2010).

vitamina b9 folato cido folico qual e o melhor
O brócolis é uma boa fonte de ácido fólico

Vitamina D

A vitamina D é uma vitamina importante para a divisão celular, saúde óssea e função imune.

A deficiência de vitamina D durante a gravidez pode causar pré-eclâmpsia, parto prematuro e diabetes gestacional. A dose recomendada de vitamina D é de 600 IU por dia para mulheres grávidas (MITHAL, KALRA, 2014).

Ferro

O ferro tem um importante papel no crescimento e desevolvimento do feto e da placenta durante a gravidez.

A necessidade por ferro aumenta durante a gestação, já que durante a gravidez o volume de sangue na mulher aumenta em quase 50%. A deficiência de ferro (anemia) durante a gravidez pode causar parto prematuro, depressão pós-parto e anemia na criança (ALLEN, 2000) (GOSHTASEBU, ALIZADEH & GANDEVANI, 2013).

A dose recomendada é de 29 mg de ferro por dia para mulheres grávidas. Os multivitamínicos pré-natais já tem essa quantidade de ferro em sua composição, porém mulheres com deficiência em ferro ou anemia precisam tomar doses maiores de ferro preescritas pelo médico.

Mulheres que não tem  deficiência de ferro devem evitar tomar mais que a quantidade recomendada, pois excesso no consumo de ferro pode gerar efeitos colaterais, tais como constipação, vômitos e níveis de hemoglobina anormalmente altos (PENA-ROSAS, DE-REGIL & DOWSWELL, 2015).

Magnésio

O magnésio é um mineral involvido em centenas de reações químicas em nosso corpo, desempenha funções vitais nos sistemas imune, muscular e nervoso.

A deficiência de magnésio durante a gestação aumentam os riscos da grávida desenvolver pré-eclâmpsia, hipertensão crônica e parto prematuro. A suplementação de magnésio diminuem os riscos de pré-eclâmpsia, problemas de crescimento do feto e nascimento prematuro (ZAREAN, TARJAN, 2017).

Gengibre

O suplemento de gengibre é usado principalmente para tratar náuseas da cinetose, gravidez e quimioterapia. Vômitos durante a gravidez são um muito comuns e segundo um estudo publicado na Database of Abstracts of Reviews of Effects (DARE), o gengibre é seguro e efetivo para tratar a náusea e o vômito causados pela gravidez.

Porém, é importante frisar que não há pesquisas feitas que avaliam qual a máxima dosagem de gengibre que uma grávida pode tomar sem sofrer efeitos colaterais. Por isso, é importante não exagerar no consumo de suplementos de gengibre e consultar um médico antes de usá-lo.

gengibre
O gengibre pode ser usado para resolver o problema das náuseas e vômitos durante a gravidez

Óleo de peixe

Óleo de peixe contém DHA e EPA, dois ácidos graxos importantes para o desenvolvimento adequado do feto. Um estudo mostrou que o óleo de peixe diminui as chances de um parto prematuro e alguns evidências sugerem que ele pode auxiliar no desenvolvimento dos olhos do feto (GREENBERG, BELL & AUSDA, 2008).

Seu uso é considerado seguro, porém ainda não há um consenso se tomar esse suplemento de óleo de peixe durante a gravidez seja realmente necessário.

Probióticos

Probióticos são um nome comum dado a uma série variada de bactérias que beneficiam nosso sistema digestivo. O uso de probióticos é seguro durante a gravidez e o risco de efeitos colaterais são bem baixos (ELIAS, BOZZO & EINARSON, 2011).

Estudos realizados até o momento sugerem que probióticos podem reduzir os riscos de  diabetes gestacional, depressão pós-parto, eczemas no bebê e dermatite (1, 23, 4). Porém, é sempre bom frisar, essas são apenas pesquisas iniciais envolvendo probióticos na gravidez. Para entendermos melhor suas vantagens e desvantagens, precisamos de mais estudos sérios sobre o assunto.

Suplementos para evitar durante a gravidez

Apesar do corpo da mulher precisar de mais macro e micronutrientes durante a gravidez, nem tudo é bem vindo. Certos micronutrientes, principalmente quando tomados em excesso, podem prejudicar muito mais do ajudar. Esta uma lista de suplementos que você deve evitar durante a gestação.

Vitamina A

A vitamina A é extremamente importante para o desenvolvimento da visão do feto e também para o sistema imune. Porém, excesso de vitamina A pode ser perigosa.

A vitamina A é solúvel em gordura e quando há mais do que o necessário no corpo, ela é armazenada no fígado. Excesso de vitamina A pode causar danos ao fígado e provocar doenças congênitas em bebês (1).

Através da dieta e de um multivitamínico pré-natal tanto a grávida quanto o bebê devem ter toda a vitamina A que ela precisa. Tomar um suplemento adicional de vitamina A não é necessário nem recomendado.

Vitamina E

A vitamina E é outra vitamina que é recomendado que grávidas não usem. Suplementar a dieta com vitamina E não mostrou nenhuma vantagem nem para a mãe e nem para o bebê e pode, ao contrário, causar problemas. O uso de suplementos de vitamina E durante a gravidez pode causar dores abdominais e ruptura prematura do saco amniótico (1).

Ou seja, se você está grávida, não tome suplementos de vitamina E a menos que o seu médico recomende.

Erva-de-São-Cristóvão

Se você procurar pelo nome desta erva agora no Google, você irá achar nos primeiros resultados um site falando que a erva-de-São-Cristóvão é um aliado das mulheres e que facilitar partos. Essa informação é falsa.

Suplementos ou chá dessa erva não são seguros para tomar durante a gravidez, já que ela poderia causar contração no útero e induzir a um parto prematuro (DUGOUA, 2006). Um outro estudo mostrou que ela passou causar problemas nos rins de algumas pessoas.

Ou seja, a erva-de-São-Cristóvão deve ser evitada durante a gestação.

erva-de-são-cristóvão black cohosh
Um suplemento de erva-de-são-cristóvão (black cohosh)

Hydrastis canadensis

A Hydrastis canadensis é uma erva usada como suplemento para tratar infecções respiratórias e diarreia, mas não há estudo que confirmem se essa planta é segura e eficaz.

A Hydrastis canadensis contém a substância berberina, que piora os sintomas da icterícia em crianças. A icterícia pode levar a uma condição chamada kernicterus, um tipo muito raro de dano cerebral que pode ser fatal (1).

Ou seja, se você está grávida, fique longe de qualquer suplemento que possa conter berberina.

Dong quai

É outra erva medicinal milagrosa que promete uma série de benefícios como aliviar a tensão, curar anemia e previnir alergias. Mas nenhum desses benefícios é comprovado cientificamente.

Grávidas devem evitar o dong quai porque ele pode estimular constrações uterinas, aumentando os riscos de um aborto (1).

Yohimbe

O yohimbe é outra maravilha que promete tudo: aumentar o desejo sexual, facilitar ganho de massa muscular e queimar gorduras. Mas como ocorre com outras plantas milagrosas que aparecem no mercado, os benefícios que o yohimbe pode proporcionar à nossa saúde são exagerados.

Mulheres grávidas não podem usar yohimbe durante a gestação pois ela possui perigosos efeitos colaterais como pressão alta, ataques cardíacos e convulsões (1).

Outros suplementos de ervas para evitar durante a gravidez

Neste ponto você já deve ter percebido que alguns plantas podem ser extremamente prejudiciais durante a gravidez. Para facilitar sua vida, vamos mais 10 ervas que não devem ser tomadas durante a gestação:

  • Saw palmetto (Serenoa repens)
  • Catinga-de-mulata
  • Red clover / Trevo vermelho (Trifolium pratense)
  • Angélica
  • Milefólio
  • Absinto (Artemisia absinthium)
  • Cohosh Azul
  • Poejo (Mentha pulegium)
  • Ephedra
  • Flor-de-são-joão (Artemisia vulgaris)

Conclusão

Como foi mostrado neste artigo, a gravidez é um processo que exige muito do corpo da mulher. Elas acabam pnecessitando de mais micro e macronutrientes para garantir que tanto a gestante quanto o futuro bebê tenham a seu dispor todos os nutrientes necessários para que o processo sem complicações.

Mas, como foi mostrado, alguns suplementos ajudam muito, mas outros devem ser evitados para evitar problemas sérios durante esse período. Esperamos que esse post tenha sido útil e que suas dúvidas tenham sido solucionadas.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *