Como escolher o protetor solar

Apesar de vivermos em um país tropical, pouca gente usa o protetor solar. E quem tem esse hábito nem sempre usa produtos adequados ao seu tipo de pele. Se você não sabe como escolher protetor solar não pode perder a oportunidade de tirar todas suas dúvidas sobre o assunto.

Breve história do protetor solar

Os primórdios do protetor solar estão no Egito Antigo. Já no ano de 7800 a.C. a exposição ao sol era recomendada para evitar problemas de saúde, mas, também sabia-se que o exagero também fazia mal. A solução para driblar Para evitar os efeitos nocivos do sol era a receita com mamona, óleo de amêndoa, jasmim e magnólia. Nos Jogos Olímpicos realizados na Grécia no ano de 400 a.C., os atletas aplicavam na pele com a mistura de óleo de oliva e areia.

O protetor solar foi criado em 1944 pelo farmacêutico americano Benjamim Greene. A invenção à base de petróleo era avermelhada e tinha consistência de geleia um pouco mais firme e era usada pelos soldados da Segunda Guerra no Pacífico Sul que sofriam queimaduras constantes. O produto criado no fogão da casa de Greene e testado em sua careca demorou a chegar ao mercado e a população civil continuou a proteger a pele do sol com produtos caseiros à base de óleos.

Ainda em 1944 foi inaugurada a Coppertone, a primeira fabricante de protetor solar. Em 1953, a empresa comprou a patente desenvolvida por Greene e o produto passa a ser vendido em escala comercial. O conceito de Fator de Proteção Solar (FPS) que determina o nível de proteção aos raios violetas teve início em 1956 pelo professor R. Schultze e foi consolidado em 1962 pelo químico austríaco Franz Greiter. O protetor solar chegou ao Brasil em 1960.

O que são raios UVA e UVB?

São radiações solares em forma de ondas. Para se proteger, a pele produz mais melanina e assim, ela escurece. Só que isso não é suficiente, porque, a areia da praia, por exemplo, bloqueia no máximo 15% dos raios solares, daí a importância de usar protetor solar. Quando você não protege a pele adequadamente, os raios UVA e UVB provocam queimaduras de superficiais a intensas e até mesmo alterações nas células, visto que o organismo aumenta a produção de melanina para tentar proteger a pele.

Veja esse comparativo entre os raios UVA e UVB:

  • Raios UVA: deixa a pele bronzeada, mas, também manchada e provoca rugas;
  • Raios UVB: atua na produção de vitamina D, deixa a pele avermelhada e causa câncer se a pessoa se expor das 10 às 16 horas sem proteção.

Fator de Proteção Solar

Agora, se precisamos usar protetor solar para afastar os danos dos raios UVA e UVB e existem produtos com diferentes fatores de proteção. Você sabe qual usar?

Para começar, o número do FPS indica o grau de proteção, por exemplo, um protetor solar com FPS 30 deixa a pele 30 vezes mais protegida.

Para saber qual fator de proteção solar ideal para cada pele, os dermatologistas explicam que isso é determinado pela sua cor. As peles muito claras, chamada de fenótipos I e II que não bronzeiam e ficam vermelhas precisam de FPS 50.

As peles morenas estão nos fenótipos III e IV que bronzeiam e precisam de FPS 50 auge do verão, podendo usar protetor FPS 30 no fim da estação. Por fim, a pele negra que dificilmente queima precisa de protetor solar com FPS 30. Contudo, independentemente do FPS, saiba que você deve usar protetor em todas as estações do ano.

Protetor solar FPS 100 funciona?

Não! É o que diz o Environmental Working Group, grupo ativista americano de pesquisa na área de produtos químicos. Para EWG, os protetores solares acima de 50 além de não protegerem tanto quanto o marketing difunde, pode ter ainda mais produtos químicos que danificam a pele. Outro alerta feito pelo EWG é que a vitamina A e o retinol, produtos presentes nos protetores solares com ação antienvelhecimento com FPS superior a 50 podem fazer mal à pele. Segundo o grupo ativista, a vitamina A propicia o crescimento de lesões e até de tumores.

Outra questão a ser levada em conta em relação aos protetores solares com FPS 100 é que nada adianta você aplicá-lo e ficar o dia inteiro no sol. Os produtos com FPS maiores que 50 têm um forte marketing, porém, a eficiência do produto está ligada a como você usa. E logo mais a gente ensina a forma correta de usar protetor solar.

Protetor físico, químico, com ou sem cor, em gel e oil free

A diferença entre protetor solar físico e protetor solar químico é que o protetor físico protege a pele da radiação solar, enquanto o protetor químico absorve e reduz a ação dos raios solares. O protetor físico, ou inorgânico, é feito com derivados de metais como óxido de zinco e dióxido de titânio. Esse tipo de protetor é indicado para todos os tipos de pele, especialmente para as mais sensíveis.

Já o protetor solar para rosto com cor, além de proteger contra a radiação, também protege da luz das lâmpadas, raios solares refletidos pelas janelas e da luz de aparelhos eletrônicos. O produto com cor é vendido em vários tons e é indicado para quem faz tratamentos dermatológicos e pessoas muito brancas. O protetor sem cor protege a pele apenas da radiação.

Por fim, os protetores solares para rosto com gel ou oil free (sem óleo) são indicados para peles oleosas para absorver o excesso de oleosidade. Para as mulheres na menopausa o protetor em creme com funções hidratante e anti-idade.

Como usar

Agora que você aprendeu a história, o que é FPS e os tipos, chegou a hora de aprender como aplicar o protetor solar:

  • No corpo, aplique de 15 a 30 minutos antes da exposição. Aplique a quantidade de uma colher de chá para a frente do tórax, a mesma quantidade na parte de trás do tórax, em cada braço, na frente de cada perna, na parte de trás de cada perna e para os carecas, uma colher de chá na cabeça.

Agora que você aprendeu as dicas de como escolher protetor solar não tem mais desculpas para não se proteger! Aproveite para ler mais dicas de saúde e beleza!

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *