Metionina: o que é, para que serve, benefícios e doses seguras

A metionina é um aminoácido essencial que não é produzido pelo nosso corpo e que precisa ser obtido através dos alimentos.

Neste artigo, iremos compilar as principais informações sobre ela e porque ela é importante para a nossa saúde.

O que é

A metionina é um aminoácido encontrado em muitas proteínas. Proteínas de alimentos como carne de boi e de peixes e os nossos tecidos e órgãos contém metionina.

Ela desempenha um papel importante na produção de novas proteínas dentro de nossas células. Esse processo ocorre continuamente: novas proteínas são construídas enquanto as antigas se decompõem.

Para que serve

No mundo da musculação, a metionina é usada para reparar os danos nos tecidos musculares. É ela quem que inicia o processo de produção de novas proteínas quando você faz uma sessão de treinos intensos.

A metionina é crucial para a produção de diversos aminoácidos e hormônios importantíssimos para o nosso organismo, tais como a carnitina, adrenalina, colina, e melatonina.

Ela também é usada para tratar alergias, já que ela reduz os níveis de histamina no sangue, principal responsável pelo aparecimento dos sintomas da alergia como vermelhão, coceira e edemas. Ela também é usada para desintoxicar o corpo de metais pesados tais como mercúrio (usado nas obturações dentárias) e cobre.

A metionina também é usada para tratar casos de envenenamento por acetaminofeno (paracetamol). Neste caso, ela é tomada por via oral ou injetada por via intravenosa por um profissional de saúde.

Metionina 500mg 60 Cápsulas fabricado pela Oficial Farma
Suplementos de Metionina 500mg com 60 cápsulas por pote fabricado pela Oficial Farma

Benefícios

A metionina é essencial para a saúde humana. Consumir esse aminoácido diariamente é importante para manter a saúde em dia, mas além disso, ela pode traz outros benefícios, tais como:

Pode reduzir o risco do desenvolvimento do câncer de colorretal: Pesquisas mostram que uma dieta rica em micronutrientes, incluindo a metionina, pode reduzir o risco do aparecimento do câncer de colorretal (1).

Pode diminuir os tremores em pessoas com Parkinson: Ela pode ser capaz de melhorar a acinesia e rigidez, resultando em menores tremores. Ela também previne danos oxidativos e a perda de dopamina, ajudando a tratar os sintomas de Parkinson (2).

Produz creatina: A metionina ajuda na produção de creatina, um aminoácido importante para a performance atlética. Além de melhorar a performance física, a creatina também pode ajudar no emagrecimento.

Além desses três benefícios citados, ela também pode ser importante para a saúde óssea, pode tratar esquizofrenia, depressão, alcoolismo, pode ajudar o fígado e pode ajudar pessoas que estão tentando sair das drogas. Existem vários outros estudos que mostram que esse aminoácido pode trazer outros benefícios à nossa saúde, porém, são estudos com animais ou com poucas pessoas. Deste modo, é preciso esperar mais pesquisas para conhecermos melhor os benefícios que esse aminoácido pode trazer à nossa saúde.

Alimentos ricos

Nosso corpo não produz a metionina que ele precisa para funcionar direito. Você tem que obtê-la através da alimentação ou suplementação.

A metionina é encontrada principalmente em alimentos que contenham proteínas. Alimentos de origem animal como carne, ovos e leite irão conter boas quantidades desse aminoácido. Mas você também pode encontrá-la em outros alimentos, tais como feijão, grão de bico, derivados de soja (tofu, natto, tempeh), gergelim, chia, linhaça, sementes de melancia, abóbora e girassol, pistache e castanha de caju.

Alimento Quantidade de metionina em 100 gramas *VD
Castanha-do-pará 1124 mg 154%
Carne de boi 981 mg 135%
Queijo parmesão 958 mg 132%
Frango 925 mg 127%
Porco 853 mg 117%
Peixe 835 mg 115%
Feijão de soja 534 mg 73%
Ovos 392 mg 54%
Derivados do leite 169 mg 23%
Feijão 146 mg 20%

Fonte: MyFoodData

*VD: valores diários recomendados com base numa dieta de 2000 calorias. Valores ideais para uma pessoa de 70 quilos.
castanha do para rica em metionina
A castanha-do-Pará é rica em metionina

Dosagens & efeitos colaterais

Se você já consome uma boa quantidade de proteínas através da alimentação, você não precisa tomar suplementos de metionina. Porém, você pode estar tomando sob prescrição médica. Neste caso, qual seria a dose segura?

Tomar 2 gramas de metionina por dia não vai causar nenhum efeito colateral grave. Doses altas, acima de 7 gramas, podem elevar os níveis de homocisteína e colesterol no seu sangue, que por sua vez aumentam os riscos de você desenvolver aterosclerose. Os níveis de homocisteína no sangue podem aumentar principalmente se você tem deficiência de vitaminas do complexo B.

Se você pretende usar ou está usando metionina (ou outros aminoácidos como creatina), você deve tomar uma suplementação de vitamina B6, vitamina B12 e ácido fólico para evitar que os níveis de homocisteína no seu sangue aumentem demais.

Mulheres grávidas ou amamentando não devem tomar metionina (exceto sob prescrição médica), pois não se sabe se o seu uso é seguro para elas.

Pessoas com as seguintes doenças ou problemas de saúde devem evitar a suplementação deste aminoácido (4):

  • Doença hepática (incluindo cirrose)
  • Acidose
  • Deficiência de Metilenotetrahidrofolato redutase (MTHFR)
  • Aterosclerose

Um outro efeito colateral desagradável deste aminoácido é que ele parece encurtar a vida. Estudos feitos com ratos mostraram que aqueles animais submetidos a uma dieta com pouca metionina viveram mais do que ratos que seguiam uma dieta mais rica neste aminoácido.

Isto quer dizer que a metionina reduz o tempo de vida também em humanos?

Ainda não se sabe, pois poucos estudos foram feitos para verificar se isso ocorre também em seres humanos. Porém, na dúvida, é melhor não exagerar no consumo de metionina.

Conclusão

A metionina é um aminoácido essencial para a saúde. Ela é importante para a produção de novos tecidos musculares, de hormônios e aminoácidos como a creatina. Na medicina ela é usada para tratar empenamento por acetaminofeno (paracetamol) e para desintoxicar o corpo de metais pesado como cobre e mercúrio.

Devido ao seu potencial de elevar os níveis de homocisteína e colesterol no seu sangue, você deve tomar metionina (principalmente doses altas) apenas sob explícita orientação médica.

REFERÊNCIAS

  1. Colorectal cancer protective effects and the dietary micronutrients folate, methionine, vitamins B6, B12, C, E, selenium, and lycopene. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17176213
  2. Methionine Sulfoxide Reductase A CMRSA and Parkinson’s Disease Pathogenesis. https://www.michaeljfox.org/foundation/grant-detail.php?grant_id=88
  3. Performance and energy systems contributions during upper-body sprint interval exercise. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28119874
  4. Methionine. https://www.emedicinehealth.com/methionine/vitamins-supplements.htm

Colágeno: O que é, diferentes tipos, benefícios do consumo e principais fontes

A maioria das mulheres já ouviram falar sobre o colágeno, que é uma substância contida nos melhores cremes antienvelhecimento. Uma informação que muitas pessoas não sabem é que o colágeno é a proteína mais abundante em nosso corpo e é encontrada em nossa pele, músculos, ossos, tendões, vasos sanguíneos e em todo nosso sistema digestivo.

Porque a ciência considera o colágeno essencial para nossa saúde e bem-estar dos seres humanos? Saiba o que ele é, diferentes tipos e onde encontramos naturalmente essa proteína.

Este artigo irá lhe contar tudo que você precisa saber sobre essa proteína.

O que é colágeno?

O colágeno é a maior e mais abundante proteína do corpo, totalizando cerca de 30 a 35% da proteína total. Ele está presente em todos os tecidos do corpo e atua promovendo a elasticidade, protegendo os órgãos e fornecendo estruturas para as articulações e tendões, entre outras funções.

Diferentes tipos

Quase ninguém sabe, mas em nosso corpo existe mais de 16 tipos de diferentes colágenos. Atualmente, podemos encontrar suplementos de colágeno, na forma de colágeno tipo 1 e colágeno tipo 2. Cada tipo, tem diferentes finalidades.

Conheça os principais benefícios para que você possa determinar qual é o melhor para seu objetivo:

Tipo 1: O colágeno tipo 1, ou hidrolisado, é o mais abundante em nosso corpo e é um componente essencial dos ossos, ligamentos, tendões, órgãos e pele. Também faz parte dos vasos sanguíneos, da córnea, dos dentes e das gengivas. Sua função é ajudar na formação óssea, mas também auxilia na cicatrização de feridas.

Tipo 2: O Colágeno tipo 2, ou não desnaturado, ajuda principalmente a construir a cartilagem. A saúde dos nossos tecidos conjuntivos em todo o corpo depende dessa proteína. Alguns estudos mostram que ela pode ser benéfica para a artrite reumatoide e outras doenças similares que afetam não apenas os idosos, mas pessoas de todos as idades.

Quais as principais fontes?

O colágeno é uma proteína que está naturalmente presente em nosso organismo. Mesmo sendo produzido naturalmente, normalmente, depois dos 25 anos de idade a produção de colágeno diminui naturalmente. Existe alguns alimentos, que quando consumidos, contribuem para a produção dessa proteína. São eles:

  • Alimentos ricos em proteínas, incluindo carne, frango, peixe e ovos
  • Caldo de osso
  • Pés de frango
  • Gelatina
  • Frutas cítricas
  • Nozes, castanhas e amêndoas
  • Soja, feijão, ervilha e quinoa
  • Vegetais de cor laranja
  • Vegetais de cor verde
  • Suplementos alimentares

Quais os benefícios da produção adequada e/ou suplementação de colágeno?

Agora que você conhece um pouco mais sobre o colágeno, vamos falar sobre os principais benefícios que a produção correta ou integração desta proteína traz ao nosso corpo.

  1. Melhora a saúde da pele, unhas, cabelos e dentes: É os benefícios mais “óbvio”, todos os que assistem a televisão já sabem há algum tempo. Se a perda de colágeno significa ter mais defeitos na pele, um aumento nos níveis leva ao rejuvenescimento dérmico, melhor renovação celular e maior capacidade de regenerar a pele. Celulite e estrias também são reduzidas e toda a aparência se beneficia. Até mesmo unhas, cabelos e dentes ficam mais fortes. Na verdade, as unhas escamosas, perda de cabelo e inflamações dentárias podem ter como causa comum a falta dessa proteína.
  2. Reduz a dor nas articulações: O colágeno, especialmente o tipo 1, é a proteína que permite que as articulações se movam mais facilmente, previne a rigidez e reduz a dor nas articulações. A integração, dessa proteína, tem proporcionado melhorias substanciais em pessoas com osteoartrite e dores articulares.
  3. Promove a saúde cardiovascular: Os aminoácidos presentes, têm vários benefícios para a circulação. A prolina repara os tecidos, controla a pressão e previne o acúmulo de placas arterioscleróticas, enquanto a arginina melhora a vasodilatação dos vasos sanguíneos.
  4. Aumenta o metabolismo e consequentemente a energia: O colágeno contém aminoácidos de vários tipos, um deles é a glicina. A glicina ajuda a formação de massa magra e converte os nutrientes essenciais em energia. A consequência é um aumento no metabolismo que, além de perder peso, garante maior vitalidade e reatividade.
  5. Ajuda a desintoxicar o fígado: A glicina, ajuda o fígado a livrar-se de substâncias nocivas, melhorando o fluxo sanguíneo e, consequentemente, o funcionamento do organismo.
  6. Ajuda a curar doenças gastrointestinais: O colágeno, com seus aminoácidos, ajuda a tratar o intestino permeável, reparando as paredes celulares danificadas. Além disso, pacientes que sofrem de doenças como a colite ulcerativa, doença de Crohn, síndrome do intestino irritável e similares têm uma redução significativa nos sintomas e uma melhoria global em suas condições através da integração desta proteína.

Disfunção erétil: O que é, principais causas e as alternativas de tratamento

A disfunção erétil, também conhecida como impotência sexual, afeta a autoestima de muitos homens espalhados pelo mundo. Neste contexto, surgem diversas dúvidas e várias promessas que dizem ser a solução eficaz para os problemas de ereção masculina. Neste artigo, iremos trazer algumas informações importante que você precisa saber sobre o assunto!

Ereção do pênis: como funciona?

A ereção do pênis é a consequência natural e espontânea por diversos estímulos, que podem ser estimuladas através da visão, toque, fala, cheiro e pensamentos. A excitação mental causada, libera sinais bioelétricos e neurais do cérebro, descendo pela coluna vertebral e sendo direcionados para a região genital.

Esses sinais enviados pelo cérebro, causa o relaxamento da musculatura lisa dos dois corpos cavernosos, que compõe o pênis, assim enchendo de sangue dentro deles. Os corpos cavernosos mantêm o sangue na região através da excitação mental, inchando em volume e fazendo que o pênis fique na posição rígida e ereta.

Para uma forma mais didática, o mecanismo psicofísico da ereção poderia ser descrito da seguinte forma:

  1. A excitação mental causa a liberação dos sinais neurais.
  2. Os sinais descem através da coluna vertebral e chega na região genital.
  3. Esses sinais causados pela excitação mental inicial, aumenta o fluxo sanguíneo nos corpos cavernosos do pênis.
  4. O pênis, por sua vez, retém o sangue e incha, formando uma ereção.

O que é disfunção erétil?

A disfunção erétil (impotência sexual) consiste na dificuldade de obter ou manter uma ereção do pênis durante o coito, tornando-se impossível realizar a penetração vaginal. É um problema íntimo comum que, segundo estimativas de andrologistas e urologistas, afeta mais de 3 milhões de brasileiros de todas as idades, tanto jovens de 20 anos quanto aos 60 anos ou mais.

A disfunção erétil não deve ser confundida com a ejaculação precoce (ejacular muito rapidamente), que é um distúrbio sexual igualmente difundido, porém é muito diferente da disfunção erétil.

Principais causas

Existem várias possíveis causas da dificuldade em obter uma ereção do pênis durante a relação sexual, ou mantê-la por tempo suficientemente longo para alcançar a satisfação sexual para ambos envolvidos. Confira as principais causas da disfunção erétil:

Causas de origem físico-orgânica

As causas de origem físico-orgânica são aquelas que estão relacionadas a problemas físicos ou de saúde, elas afetam negativamente o mecanismo da ereção sexual. Os problemas vasculares, cardíacos, circulação sanguínea, respiratórios e inflamação da próstata são alguns exemplos das possíveis causas.

A ingestão de drogas, álcool e antidepressivos também pode causar a dificuldade da ereção, como um efeito colateral dessas substâncias.

Causas de origem metal e psicológica

As causas de origem mental e psicológica, muitas vezes chamadas de “bloqueios mentais”, são as mais difundidas e ao mesmo tempo são que mais causam preocupação entre os homens.

As causas mais comuns da disfunção erétil são, de fato:

  • A ansiedade de obter um bom desempenho sexual;
  • O medo de não saber satisfazer a parceira;
  • Baixo autoestima sexual;
  • Preocupação de não manter ou conseguir uma ereção do pênis porque já teve problemas no passado;
  • Ansiedade que causa uma tensão mental e impede o cérebro de enviar os sinais corretos e necessários para uma boa ereção.

Por essas, e outras razões, muitos homens sofrem com a dificuldade apenas quando estão com seus parceiros ou apenas com um parceiro específico, mais não na solidão. Se alguém não é sexualmente seguro, torna-se difícil ou impossível sentir-se fortemente excitado.

Medicamentos para disfunção erétil

Os tratamentos farmacológicos mais comuns são aqueles baseados em drogas que inibem a enzima fosfodiesterase PDE5. Alguns remédios, como o Viagra, Cialis, Levitra e Spedra são os medicamentos mais comuns nesta categoria. São adequados, entretanto, para idosos com dificuldades de ereção, de origem orgânica, devido à enzima fosfodiesterase tipo 5.

Essa enzima impede o relaxamento da musculatura lisa no corpo cavernoso do pênis. Depois de tomar a pílula, a droga age bloqueando a função dessa enzima por algumas horas, possibilitando uma ereção normal, mas somente se o indivíduo estiver psicologicamente excitado.

Essas drogas são eficazes em alguns casos específicos e não em todos os casos. Isso pelas seguintes razões:

  • Elas não causam uma ereção automática e segura (isto é apenas um mito).
  • Elas não vão funcionar, de forma alguma, se o homem estiver inseguro ou ansioso durante a relação sexual.
  • Elas também causam efeitos colaterais graves.
  • A droga não é uma cura real que elimina para sempre a raiz da disfunção erétil. Deve ser um medicamento auxiliar que pode ser tomado antes da relação sexual.
  • O uso prolongado leva rapidamente a uma espécie de dependência psicológica da droga, criando insegurança sexual, baixa autoestima, ansiedade e outros problemas de ereção.

Alternativas naturais para ereção

Há diversos alimentos e substâncias que são conhecidas como Viagra natural. Elas possuem propriedades afrodisíacas capazes de aumentar a libido, testosterona e capacidade de vasodilatação. A lista dos conhecidos como Viagra natural inclui:

  • Frutos do mar
  • Café
  • Chocolate
  • Gengibre
  • Ginseng
  • Alho
  • Cravo
  • Melancia
  • Marupuama
  • Ginkgo Biloba
  • Maca peruana
  • Tribulus terrestris
  • Suplementos de zinco
  • Suplementos de óxido nítrico
  • L-taurina
  • L-arginina
  • L-citrulina
  • Amendoim

Existe também, vários suplementos, conhecidos como Viagra natural que podem ser encontrados através da internet. Os mais procurados e vendidos são:

Xtrasize: Ele é um suplemento que serve para estimular a circulação sanguínea e aumentar o nível de testosterona.

Super tribulus: É um suplemento feito a base de tribulus terrestris, uma planta rica em saponinas, que atua como uma espécie de esteroide. Os suplementos de tribulus terrestris é muito utilizado por aqueles, que querem, aumentar os níveis de testosterona e massa muscular.

Como melhorar a ereção masculina

Alguns problemas de ereção podem ser causados por problemas orgânicos que somente um médico pode avaliar e diagnosticar. Neste caso, um médico andrologista ou o urologista pode fazer o diagnostico corretamente.

No entanto, deve-se dizer que, na maioria dos casos, os problemas de disfunção erétil são decorrentes a inseguranças e estado de ansiedade no momento da relação sexual. Alguns outros fatores também podem estar afetando e limitando a capacidade da ereção masculina.

Abaixo você encontrará uma lista de dicas úteis que pode melhorar o mecanismo psicofísico da ereção:

  • Ter uma boa alimentação equilibrada;
  • Evitar alimentos industriais;
  • Evite alimentos com excesso de açúcar e sal;
  • Coma bastante frutas e verduras todos os dias;
  • Consuma alimentos ricos em vitamina C, vitamina E, ômega 3, eles melhoram a circulação sanguínea;
  • Equilibrar o consumo de carboidratos, proteínas e gorduras em sua dieta;
  • Beba bastante água, pelo menos 2 litros por dia para aumentar o fluxo sanguíneo e circulação;
  • Evite o consumo de bebidas alcóolicas;
  • Evite drogas (causam distúrbios hormonais, neurológicos, psicológicos e problemas eréteis);
  • Pratique atividades físicas regularmente.

A prática de atividade física regularmente traz diversos benefícios. Pois, além de potencializar todo o sistema cardíaco, respiratório e circulatório, aumenta a produção de testosterona se realizada em modo anaeróbico. Todos esses fatores favorecem a parte física do mecanismo de ereção peniana.

A mente também desempenha um papel fundamental nessa hora, é importante manter a autoestima sexual e confiança.

Cálcio: o que é, para que serve e sua importância no organismo

Quando você pensa em cálcio, qual a primeira coisa que vem na sua cabeça? Certamente, você deve estar pensando em queijo e leite, não é mesmo? Desde cedo, somos ensinados que o cálcio é fundamental para deixar os ossos e os dentes sempre saudáveis, porém o seu consumo para nosso organismo vai muito além disso!

Dentro de nosso corpo, o consumo de cálcio tem funções específicas que precisam desse nutriente para funcionar. Sem ele, nosso corpo falha.

Preparamos esse artigo, justamente, para que você compreenda a importância deste mineral e os benefícios que ele gera em nosso corpo.

O que é

Especialistas, médicos e nutricionistas são categóricos em afirmar que o cálcio é um dos minerais essenciais fundamentais para que o corpo funcione adequadamente. Sem o seu consumo, diferentes funções ficarão prejudicadas, inclusive, haverá uma deficiência enorme que irá ocasionar a formação de diversas doenças.

Não existe uma idade certa onde o cálcio é mais importante. Desde a infância, seu consumo é recomendado para a qualidade dos dentes, dos ossos e o desenvolvimento dos órgãos. Já na fase adulta, principalmente as mulheres, precisam do consumo rigoroso, para evitar problemas na menopausa.

Para que o organismo receba a quantidade adequada, é necessário 1000mg dia. Parece algo muito grande, não é mesmo? Mas você não precisa se preocupar. Todos os alimentos que são ricos em cálcio possuem quantidades muito altas, então atingir essa marca se torna muito fácil.

Para que serve o cálcio

Como já fizemos questão de pontuar, o cálcio, dentro de nosso organismo, vai muito além de deixar os dentes fortes e garantir a saúde dos ossos. Há necessidades que poucas pessoas conhecem.

Por exemplo, você sabia que sem o cálcio seu sistema nervoso pode ser afetado? É verdade, ele age diretamente no sistema nervoso central, evitando o risco de que doenças neurológicas possam aparecer.

Ele também fará a manutenção de seus músculos, ajudando você a adquirir massa magra e, sempre, dando mais energia em seu treino. O cálcio, é uma das substâncias responsáveis pelo transporte de proteína dentro do organismo.

Com relação aos ossos, o que ele faz é armazenar minerais que ajudam a manter tudo em ordem. O que acontece é que, quando há uma deficiência em alguma função do organismo, o que foi acumulado nos ossos é distribuído. Ou seja, se isso não estiver equilibrado, seus ossos ficam fracos. Justamente, dessa forma, é que a osteoporose aparece!

Benefícios

Músculos, cérebro, ossos e a saúde, de maneira geral, têm a necessidade do cálcio para manter tudo funcionando como deveria. No cérebro, como já dito acima, ele irá diminuir os riscos de problemas neurológicos, principalmente, em bebês que ainda estão dentro da barriga de suas mães. A pressão arterial também é beneficiada por seu consumo. Já existem pesquisas que afirmam que doses adequadas garantem o controle.

Se você é do tipo de pessoa que treina em ritmo intenso, o cálcio é um grande auxiliador. Ele faz a manutenção das funções cardíacas, além de regular a pressão, prevenir AVC e infarto.

Não é apenas para os ossos que o cálcio é importante, todas as funções do organismo dependem direta ou indiretamente dele.

Alimentos ricos em cálcio

Não é nenhum mistério entender quais são os alimentos que são ricos em cálcio, não é mesmo? Leite e seus derivados encabeçam a lista dos que possuem maior fonte. No entanto, não é apenas nesse tipo de alimento que você encontrará o cálcio.

Há opções, por exemplo, para quem tem intolerância a lactose, mas que o organismo continua necessitando do mineral.

Então, você pode encontrar cálcio nos seguintes tipos de alimentos:

  • Grãos: A soja, por exemplo, é uma das opções para quem é vegano ou tem intolerância a lactose. Para esses casos, a recomendação é que dobre a dose diária ingerida;
  • Vegetais verde-escuro: Qualquer vegetal que seja verde-escuro tem altas quantidades de cálcio e, com isso, deve ser ingerido. O espinafre, os brócolis, são ótimas opções.
  • Castanhas: castanhas são uma boa fonte deste mineral essencial. Basta o consumo de apenas algumas por dia para atingir os níveis recomendados.

Anotou todas as informações sobre esse assunto? Ficou tudo claro?

Se tiver qualquer dúvida, escreva para nós!

Até a próxima!