Spirulina: o que é, pra que serve, benefícios e efeitos colaterais

A Spirulina é uma bactéria aquática rica em vitaminas, minerais, proteínas e ácidos graxos. Essas propriedades fornecem ao corpo substâncias necessárias para o sustento diário.

Vamos descobrir as características da Spirulina e dos suplementos alimentares derivados dela.

O que é e para que serve

A spirulina é uma bactéria, encontrada em alguns lagos de água doce, extremamente rica em vitaminas, antioxidantes e proteínas. Atualmente é amplamente conhecida por seu alto conteúdo nutricional e seu consumo já é antigo, porém sua industrialização é recente. Atualmente, a spirulina é considerada um superalimento.

Trata-se de um suplemento alimentar rico em proteínas cujo seu consumo é muito apreciado por vegetarianos, praticantes de atividades físicas e por pessoas que buscam emagrecer.

A Spirulina possui um alto nível de proteínas, também possui quantidades significantes de vitamina B12, vitamina B1, vitamina B2, vitamina E, betacaroteno, ferro, ácido gamalinoleico e clorofila. Possui 18 dos 22 aminoácidos conhecidos e mais de 15 minerais. É considerada um superalimento que contém apenas 5% de gordura e de fácil digestão.

Spirulina

Benefícios da spirulina

Com todas as vitaminas e minerais presentes, a spirulina possui diversos benefícios que tem despertado a curiosidade de muitos. Atualmente, os estudos revelam vários benefícios para a saúde, que incluem:

  • Emagrecimento: O bom funcionamento do organismo depende das quantidades adequadas de vitaminas e minerais. Quando o organismo não possui quantidades adequadas, você tem a impressão que precisa de mais comida, causando a fome exagerada.
  • Proteção contra doenças: Os nutrientes são responsáveis pela produção de anticorpos, assim fortalecendo o sistema imunológico, responsável pelo combate de doenças e infecções.
  • Prevenção ao câncer: Sua grande fonte de antioxidantes oferece proteção contra os danos oxidativos das células. Os danos oxidativos podem ocasionar uma lesão crônica, degenerando algum tipo de câncer. Suas propriedades anticâncer foram testadas em animais, estudos mostram redução na ocorrência de câncer e redução de tumores (1,2).
  • Conveniente para os músculos: A Spirulina apresenta compostos antioxidantes (compostos fenólicos, tocoferóis, betacaroteno, ficocianina e outros). Essas substâncias ajudam no combate a fadiga muscular, causada pelos exercícios intensos. O alto teor de proteínas presente na Spirulina também, faz dela, uma ótima aliada para quem deseja ganhar massa magra, já que este macronutriente é fundamental para reconstrução do tecido muscular.
  • Ajuda a controlar a glicemia e a lipidemia no diabetes tipo 2: Sua alta concentração de nutrientes funcionais resultou em uma diminuição da glicemia em jejum e níveis de glicemia pós-pradial (depois de uma refeição). Também houve uma redução no nível de HbA1C (exame de sangue que mede o nível médio de glicose durante dois ou três meses) indicando uma melhor regulação da glicemia a logo prazo (3, 4).
  • Controle de alergias: Estudos sugerem que a Spirulina é fortemente eficaz no controle de alergias, com sintomas de secreção nasal, espirros, congestão nasal e coceiras. Nos estudos os voluntários relataram satisfação com os resultados advindos do tratamento (5,6).

Efeitos colaterais

Algumas pessoas que usam spirulina podem sofrer efeitos colaterais como dor de cabeça, sudação, náuseas, dificuldade de concentração e rubor facial. Porém, esses efeitos colaterais tendem a ocorrer principalmente se você consumir spirulina em excesso.

Evite a spirulina em caso de doença autoimune, como a esclerose múltipla, artrite reumatoide ou lúpus, pois poderia estimular seu sistema imunológico, tornando sua condição pior.

Onde comprar e preço

O produto pode ser encontrado em várias lojas de suplementos alimentares. Seu preço, varia de R$ 20,00 a R$ 100,00 dependendo da composição utilizada. Clique aqui para conferir o preço na loja Netshoes.

Espinheira santa: Para que serve, como preparar e contraindicações

A espinheira santa é uma erva usada popularmente para fazer remédios caseiros. Ela é conhecida por vários nomes e pode trazer alguns benefícios para a nossa saúde.

Neste artigo, iremos falar mais sobre esses benefícios, para que ela serve e como preparar o chá dessa erva medicinal brasileira.

O que  é

A espinheira santa (Maytenus ilicifolia) é uma planta medicinal de pequeno porte muito presente na região sul do Brasil.

Suas folhas possuem espinhos e suas flores são brancas, atinge aproximadamente 5 metros e por possui pares de espinhos em suas folhas leva esse nome popular por ser considerada um “santo remédio”.

Em algumas regiões também é conhecida por outros nomes populares como espinheira-divina, erva-cancerosa, cancorosa-de-sete-espinhos, espinho-de-deus, limãozinho, salva-vidas, sombra-de-touro, entre outros.

[caption id="attachment_1726" align="aligncenter" width="800"]flor de espinheira santa Espinheira santa (Maytenus ilicifolia)[/caption]

Para que serve espinheira santa

A espinheira santa é muito utilizada para tratar problemas gastrointestinais, tais como a gastrite, úlcera, gases, azia e queimação. Também possui atividade antimicrobiana e propriedades diuréticas que auxiliam no combate à retenção de líquidos. Externamente, outro uso comum é como cicatrizante, tonificante e antisséptico.

Resumidamente, as principais as principais indicações de uso são:

  • Gastrite crônica
  • Gases
  • Fermentações gastrintestinal
  • Doenças da pele (acne, eczema, eczemas, ulcerações, herpes, afecção pruriginosas)
  • Moléstias do estômago
  • Úlceras pépticas
  • Males hepáticos e renais
  • Azia
  • Vômitos e digestão
  • Irritações estomacais
  • Atonia gástrica
  • Hiperacidez
  • Gastralgias
  • Inflamação
  • Vômitos

Espinheira santa emagrece?

Por ser uma planta diurética está associada com o emagrecimento. Isso porque, auxilia na retenção de liquido. Com a digestão funcionando bem e adequadamente, o corpo não acumula gordura, pois aumenta a capacidade de eliminar tudo que é desnecessário. Então, podemos dizer que a espinheira santa pode sim te ajudar a emagrecer.

Porém, sozinha ela não vai fazer milagre. Para você emagrecer você tem que gastar mais calorias do que você consome. Usar esta erva para emagrecer e continuar comendo mais calorias que você precisa não te ajudar a perder peso.

Como fazer o chá de espinheira santa

As partes utilizadas da espinheira santa para fazer chá podem ser as folhas, cascas e raízes (preparado por decocção).

Preparo por infusão: Aqueça a água até o ponto de fervura e adicione 3 colheres (sopa) de folhas secas picadas ou 12 folhas frescas grandes em 1 litro de água. Deixe de repouso por 5 minutos, de preferência tampada.

Preparo por decocção: Adicione 30g de cascas ou raízes em ½ litro de água. Ferver por aproximadamente 5 minutos.

Preparo para compressas: ferva 10 folhas em ½ litro de água. Deixe esfriar e aplique topicamente nas feridas.

Contraindicações

O chá de espinheira santa é contraindicado para grávidas e para mulheres que desejam engravidar. Estudos mostram resultados de interferência na parede uterina, dificultando a aderência do embrião. Também não deve ser consumido por crianças e lactantes.

 

 

Sabugueiro: o que é, benefícios e riscos à nossa saúde

O sabugueiro é uma das plantas medicinais mais utilizadas no mundo. Tradicionalmente, os nativos americanos usavam essa planta para tratar infecções, enquanto os antigos egípcios usavam-na para melhorar o aspecto de suas peles e curar queimaduras. Ainda hoje o sabugueiro é usado na medicina popular em muitas partes da Europa.

Hoje, o sabugueiro é mais usado como suplemento ou chá para tratar sintomas de resfriado e gripe. No entanto, as bagas cruas, a casca e as folhas da planta também são conhecidas por serem venenosas e podem causar problemas no estômago.

Este artigo examina mais de perto o sabugueiro, a evidência que apoia as alegações dos benefícios que ela traz a saúde e os perigos consumir certas partes dessa planta.

 

[caption id="attachment_1709" align="aligncenter" width="900"]para que serve sabugueiro Sambucus nigra Bagas do sabugueiro europeu (Sambucus nigra), também conhecido como sabugueiro-preto[/caption]

O que é

Sabugueiro é um nome comum usado para referir-se a diversas variedades diferentes da árvore Sambucus, que é uma planta florida pertencente à família Adoxaceae. O tipo mais comum é o Sambucus nigra, também conhecido como sabugueiro europeu. Esta árvore é nativa da Europa, embora também seja cultivada em muitas outras partes do mundo.

A Sambucus nigra pode chegar aos 9 metros de altura e tem aglomerados de pequenas flores de cor branca ou cremosa conhecidas como flor de sabugueiro. As bagas são encontradas em pequenos cachos preto e azul-escuro.

As bagas são bastante azuis e precisam ser cozidas para serem comidas. As flores têm um delicado aroma de moscatel e podem ser comidas cruas ou cozidas. Outras variedades incluem o

  • Sambucus australis (ocapora)
  • Sambucus ebulus (sabugueiro-anão)
  • Sambucus lanceolata (sabugueiro-da-Madeira)

Várias partes da árvore de sabugueiro foram usadas ao longo da história para fins medicinais e culinários. Historicamente, as flores e as folhas foram usadas para alívio da dor, inchaço, inflamação, estimular a produção de urina e induzir transpiração. A casca erada usada como diurético, laxante e para provocar o vômito.

Na medicina popular, as bagas secas e o suco são usados ​​para tratar a gripe, infecções, ciática, dores de cabeça, dor dental, dor no coração e dor nervosa, além de um laxante e diurético.

Além disso, as bagas podem ser cozidas e usadas para fazer suco, geleias, chutneys, bolos e vinho de sabugueiro. As flores são muitas vezes fervidas com açúcar para fazer um xarope doce ou beber como chá. Elas também podem ser comidas frescos em saladas.

Benefícios do Sabugueiro

O sabugueiro traz vários benefícios à saúde. Eles são só nutritivos, como também podem combater sintomas da gripe, melhorar a saúde do coração e combater a inflamação e as infecções, entre outros benefícios.

Rico em nutrientes

O sabugueiro é um alimento de baixo conteúdo calórico rico em antioxidantes: 100 gramas de bagas frescas contêm 73 calorias, 18,4 gramas de carboidratos e menos de 1 grama cada uma de gordura e proteína (1).

Além disso, ele tem muitos outros benefícios nutricionais:

  • Rico em vitamina C: existe de 6 a 35 mg de vitamina C (também chama de ácido ascórbico) por 100 gramas de fruta, o que representa até 60% da ingestão diária recomendada.
  • Rico em fibras: ele contém 7 gramas de fibras em 100 gramas de bagas frescas, que é mais de um quarto da ingestão diária recomendada.
  • Ótima fonte de ácidos fenólicos: estes compostos são poderosos antioxidantes que podem ajudar a reduzir os danos resultantes do estresse oxidativo no organismo.
  • Boa fonte de flavonóis: ele contém os antioxidantes flavonóis quercetina, kaempferol e isorhamnetina. As flores contêm até 10 vezes mais flavonóis do que as bagas.
  • Rico em antocianinas: estes compostos dão à fruta a sua característica cor preta-preta escura e são um poderoso antioxidante com efeitos anti-inflamatórios.

Fontes: SELFNutritionData, JFF.

A composição nutricional exata das bagas do sabugueiro depende de uma série de fatores, tais como, a variedade da planta, quão maduras as bagas estão e condições ambientais e climáticas. Portanto, as informações nutricionais aqui listados podem variar.

[caption id="attachment_1710" align="aligncenter" width="500"]cha de sabugueiro Um pacote de chá de flor de sabugueiro[/caption]

Alivia os sintomas da gripe

O extrato e o chá de Sambucus nigra demonstraram reduzir a gravidade e a duração da gripe (2).

Um estudo randomizado de 2004 realizado pelo Departamento de Virologia da The Hebrew University Hadassah Medical School testou a eficácia e a segurança do extrato de sabugueiro no tratamento de infecções por vírus influenza A e B:

Os pacientes receberam 15 ml de xarope de sabugueiro ou placebo quatro vezes por dia durante 5 dias e registraram seus sintomas usando uma escala analógica visual. Os sintomas foram aliviados em média 4 dias antes e o uso de medicação de resgate foi significativamente menor naqueles que receberam extrato em comparação com o placebo. O extrato de sabugueiro parece oferecer um tratamento eficiente, seguro e econômico para a gripe.

Outro estudo com 64 pessoas descobriu que tomar pastilhas de extrato de sabugueiro de 175 mg durante dois dias resultou em melhora significativa nos sintomas da gripe, incluindo febre, dor de cabeça, dores musculares e congestão nasal, já nas primeiras 24 horas.

Outro estudo com 312 pessoas que viajam constantemente por via aérea analisou os efeitos de uma suplementação diária com 300 mg de extrato de sabugueiro tomada três vezes por dia:

Os viajantes que usaram sabugueiro de 10 dias antes de viajar até 4-5 dias depois de chegar ao exterior, em média, experimentaram uma duração menor de 2 dias do resfriado e também notaram uma redução dos sintomas do resfriado.

É preciso que mais estudos aprofundados sobre o tema sejam feitos para termos uma ideia melhor sobre assunto, mas baseados nesses resultados preliminares, o sabugueiro pode ser usado como um remédio caseiro para tratar sintomas da gripe.

Rico em antioxidantes

As flores, frutas e folhas são excelentes fontes de antioxidantes.  Um estudo descobriu que o estado antioxidante melhorou em pessoas uma hora depois de beberem 400 ml de suco de sabugueiro. Outro estudo em ratos descobriu que o extrato de sabugueiro ajudou a reduzir a inflamação e danos nos tecidos oxidativos.

Porém, é importantíssimo notar que os resultados obtidos em testes laboratoriais não serão os mesmos que você irá obter em casa. Boa parte da capacidade antioxidante do sabugueiro é perdida quando as partes dessa planta são transformadas em suplementos, extratos, xaropes, chás, etc. O sabugueiro pode perder até 90% da sua capacidade antioxidante quando processada (3).

Ou seja, o sabugueiro tem poder antioxidante maior quando ele é consumido cru.

Pode ser bom para a saúde do coração

O suco pode beneficiar nossa saúde cardíaca. Estudos demonstraram que o suco de sabugueiro pode reduzir o nível de gordura no sangue e diminuir o colesterol. Além disso, uma dieta rica em flavonoides como antocianinas (e o sabugueiro é rico em antocianinas) pode reduzir o risco de doença cardíaca (3, 4).

Um estudo com 34 pessoas com 400 mg de extrato (equivalente a 4 ml de suco) três vezes ao dia durante duas semanas encontrou uma ligeira redução nos níveis de colesterol, porém os resultados não foram estatisticamente significativos.

Outro estudo em ratos com alto teor de colesterol descobriu que uma dieta que incluia sabugueiro reduziu a quantidade de colesterol no fígado e na aorta, mas não no sangue.

Outros estudos descobriram que os ratos alimentados com alimentos contendo polifenóis extraídos de sabugueiro apresentavam reduções na pressão arterial e eram menos suscetíveis ao dano orgânico causado pela pressão arterial elevada (5, 6).

Apesar desses resultados promissores, uma redução direta nos ataques cardíacos ou outros sintomas de doença cardíaca ainda não foi comprovada. Estudos adicionais em humanos são necessários para sabermos se esta planta pode mesmo ser eficiente em beneficiar nossa saúde cardíaca.

Outros benefícios:

  • Pode combater o câncer: tanto o Sambucus nigra europeu quanto o americano tiveram algumas propriedades inibidoras de câncer em estudos com tubo de ensaio (7).
  • Pode apoiar o sistema imunológico: em ratos, polifenóis do sabugueiro foram encontrados para apoiar a defesa imune aumentando o número de glóbulos brancos (8).
  • Poderia proteger contra a radiação UV: um produto de pele contendo extrato de sabugueiro tinha um fator de proteção solar de 9,88 (9).
  • Pode aumentar a micção: verificou-se que as flores do Sambucus nigra aumentam a frequência de micção e a quantidade de excreção de sal em ratos (10).
  • Pode ter algumas propriedades antidepressivas: um estudo descobriu que ratos que tomaram 1.200 mg de sabugueiro por kg de peso corporal apresentaram melhor desempenho e marcadores de humor (11).

Embora esses resultados sejam interessantes, é necessários estudos científicos aprofundados em seres humanos para determinar se os efeitos são verdadeiramente significativos.

Além disso, os produtos de sabugueiro encontrados à venda no mercado como chás, extratos, suplementos e sucos, podem conter concentrações diferentes da planta.

Ou seja, esses produtos podem ser mais fortes ou mais fracos e portanto, os benefícios podem variar muito de produto para produto.

Riscos à saúde

Embora o sabugueiro possa trazer benefícios à nossa saúde, ele também tem o potencial de causar diversos efeitos colaterais.

A casca, bagas e sementes não maduras contêm pequenas quantidades de substâncias conhecidas como lectinas, o que pode causar problemas no estômago se o seu consumo for exagerado.

Além disso, ele contém substâncias chamadas glicosídeos cianogênicos, que podem liberar cianeto em algumas circunstâncias. Existem 3 mg de cianeto por 100 gramas de bagas frescas e de 3 a 17 mg por 100 gramas de folhas frescas. A dose fatal é de 1.52 mg de cianeto por quilo de peso corporal (122 mg de cianeto para um pessoa de 80 quilos). Ou seja, comer 4 quilos de bagas verdes de sabugueiro pode levar a morte.

No entanto, os produtos processados (xarope, chás, suplementos, etc) vendidos não contêm cianeto e não há notícias de mortes por envenenamento devido ao consumo desta planta. O mais provável que vai acontecer se você exagerar e consumir as bagas, folhas, cascas ou raízes cruas são náuseas, vômitos e diarreia (12).

As substâncias tóxicas encontradas nas bagas podem ser removidas com segurança cozinhando. No entanto, os ramos, a casca ou as folhas não devem ser utilizados na culinária ou no sumo.

Se você está coletando as flores ou as bagas você mesmo, assegure-se de ter identificado corretamente a planta como sabugueiro americano ou europeu, já que outras espécies podem ser mais tóxicas. Além disso, certifique-se de remover qualquer casca ou deixa antes de usar.

As partes da planta exceto as flores e as bagas maduras são […] venenosas e não devem ser consumidas e nem estar presentes no preparo do sabugueiro. Assim, a inclusão de outras partes da planta deve ser evitada. As lectinas da casca são consideradas tóxicas e devem ser evitados no preparo de Sambucus nigra. Além disso, as folhas e hastes não devem ser esmagadas, uma vez que o esmagamento leva à liberação de ácido cianídrico.

Fonte: Relatório de avaliação sobre o Sambucus nigra

O sabugueiro não é recomendado para crianças e adolescentes com menos de 18 anos de idade ou para mulheres grávidas ou amamentando. Embora nenhum evento colateral tenha sido relatado nestes grupos de pessoas, não há dados suficientes para confirmar que o consumo desta planta é seguro para elas.

Conclusão

Embora a sabugueiro tenha sido associada a muitos benefícios promissores para a saúde, a maior parte das pesquisas só foi conduzida em laboratórios e não foi testada extensivamente em seres humanos. Portanto, não podemos afirmar que o sabugueiro vai trazer benefícios para a nossa saúde. Ele pode, mas isso não quer dizer que vai.

Evidências razoáveis apoiam seu uso para reduzir a duração e a gravidade dos sintomas da gripe. Além disso, ele pode ser benéfico para a saúde do coração, melhorar nossa capacidade antioxidante e ter uma variedade de efeitos anticancerígenos, anti-diabetes e anti-inflamatórios.

Ácido Fólico: o que é, para que serve e indicações

O ácido fólico é umas das vitaminas que são normalmente adquiridas através de uma boa alimentação. O ácido fólico serve para ajudar na produção de novas células e, também, auxilia na prevenção de mudanças do DNA.

Como medicamento é usado para prevenir e tratar a deficiência de folato e certos tipos de anemias (falta de glóbulos vermelhos) causado por sua deficiência.

Benefícios

O ácido fólico traz diversos benefícios para nossa saúde, é um nutriente essencial para a manutenção da saúde. Veja algumas de suas funções:

  • Ajuda a manter a mente saudável;
  • Previne doenças cardíacas e AVC;
  • Previne a perda da memória;
  • Ajuda a tratar a Alzheimer;
  • Previne a Osteoporose;
  • Problemas do sono;
  • Dores musculares;
  • Controla a evolução do vitiligo;
  • Mantem os cabelos saudáveis e melhora seu desenvolvimento;
  • Durante a gravidez evita o aborto espontâneo e defeitos congênitos;
  • Fortalece o sistema imunológico.

Principais fontes dietéticas

O ácido fólico está presente em vários grãos integrais, legumes, carnes e muito mais. Alguns dos alimentos que são ricos nesta vitamina são as lentilhas, espargos, brócolis, batata doce, gema de ovo, repolho, espinafre, laranja, feijão e aveia. Além desses alimentos, a nossa farinha de trigo no brasil é fortificada com ácido fólico, por isso não é comum ter deficiência desta vitamina.

Quando tomar suplementação de ácido fólico?

O consumo deve ser feito sempre sob orientação médica, normalmente o médico prescreve para casos de anemias ou para mulheres grávidas.

A maioria das pessoas (exceto as mulheres grávidas) deve ter o suficiente ácido fólico em suas dietas. Desde que, tenham uma alimentação saudável e balanceada.

Indicações

O ácido fólico é indicado para pessoas com anemia megaloblástica, anemia macrocítica, mulheres em período pré-gestacional, aleitamento, períodos de rápido crescimento. Ele também é indicado para pessoas que tomam medicamentos que causam deficiência de ácido fólico.

Ginseng: para que serve e quais benefícios ele traz?

O ginseng é uma raiz que muitos dizem trazer diversos benefícios à nossa saúde. Mas será que isso é verdade ou será que é só mais uma invenção para vender mais suplementos e extrato?

Neste artigo iremos listar benefícios que essa raiz medicinal pode proporcionar a nossa saúde, segunda as evidências científicas.

O que é

O ginseng é uma raiz que tem sido usado na medicina tradicional chinesa há séculos.  Ele têm raízes grossas e pode ser classificado de três maneiras, dependendo de quanto tempo ele demora para crescer:

  • Fresco: é colhido antes de 4 anos
  • Branco: é colhido entre 4 e 6 anos
  • Vermelho: é colhido após 6 anos

Existem muitos tipos dessa erva, mas os mais populares são o ginseng americano (Panax quinquefolius) e o ginseng asiático (Panax ginseng).

O ginseng americano e asiático varia em sua concentração de compostos ativos e efeitos no corpo. Os dois principais compostos dessa raiz são os ginsenosídeos e gintonina. Estes compostos complementam-se mutuamente para proporcionar diversos benefícios à saúde.

Para que serve

O ginseng é usado como suplemento para emagrecer, para resolver problemas de disfunção erétil e para dar mais energiar. Ele também é usado na culinária e para a fazer chás. Existem dois tipos principais de ginseng e cada um deles serve melhor para determinadas funções.

Acredita-se que o ginseng americano serve como um agente relaxante, enquanto que o asiático tem um efeito revigorante.

[caption id="attachment_1698" align="aligncenter" width="300"]raiz de ginseng O ginseng é muito parecido com o gengibre.[/caption]

Benefícios à saúde

Nos últimos anos, essa raiz tem sido estudada pela ciência e o resultado desses estudos têm sido reveladores. A seguir, iremos listars os benefícios que essa raiz pode proporcionar à nossa saúde.

Potente antioxidante que pode reduzir inflamações

O ginseng possui propriedades benéficas antioxidantes e anti-inflamatórias. Alguns estudos com tubo de ensaio demonstraram que o extrato e os compostos de ginsenosídeos poderiam inibir a inflamação e aumentar a capacidade antioxidante nas células (1, 2).

Os resultados também são promissores em seres humanos.

Um estudo com 18 jovens atletas do sexo masculino investigou os efeitos de tomar 2 gramas de extrato de ginseng vermelho coreano três vezes por dia durante sete dias:

Os resultados deste estudo sugerem que a suplementação de ginseng poderia reduzir o dano muscular induzido pelo exercício e as respostas inflamatórias, resultando em melhorias na sensibilidade à insulina (JUNG et. al, 2011).

Outro estudo com pessoas com inflamação cutânea encontrou melhorias na inflamação e atividade antioxidante após o tratamento com extrato de ginseng vermelho coreano.

Por fim, um estudo maior acompanhou 71 mulheres pós-menopáusicas que tomaram 3 gramas de ginseng vermelho ou placebo diariamente durante 12 semanas. A atividade antioxidante e os marcadores de estresse oxidativo foram então medidos.

Os resultados sugerem que RG pode reduzir o estresse oxidativo ao aumentar a atividade enzimática antioxidante em mulheres na pós-menopausa (SEO et. al, 2014).

Pode ter efeitos positivos para o nosso cérebro

Essa raiz poderia ajudar a melhorar certas funções cerebrais, como memória, comportamento e humor. Alguns estudos com tubo de ensaio e animais mostram que componentes do ginseng, como ginsenosídeos e compostos K, poderiam proteger o cérebro contra danos causados ​​por radicais livres (3, 4, 5).

Um estudo acompanhou 30 pessoas saudáveis durante quatro semanas. Estas pessoas ​​que consumiam 200 mg de panax ginseng diariamente. No final do estudo, estas pessoas apresentaram melhora na saúde mental, no funcionamento social e no humor. Porém, o mesmo estudo concluiu que os esses benefícios diminuem de intensidade após uso prolongado.

Outro estudo examinou como doses de 200 ou 400 mg de panax ginseng afetaram desempenho mental, fadiga mental e níveis de açúcar no sangue de 30 adultos saudáveis ​​antes e após um exame mental de 10 minutos de duração.

A dose de 200 mg, em oposição à dose de 400 mg, foi mais eficaz para melhorar o desempenho mental e a fadiga durante o teste.

Em geral, esses dados sugerem que o Panax ginseng pode melhorar o desempenho e a percepção de fadiga mental durante a atividade mental sustentada. Este efeito pode estar relacionado às propriedades gluco-reguladoras agudas do extrato (REAY et. al, 2005).

É possível que o ginseng tenha ajudado na absorção de açúcar no sangue, o que poderia ter melhorado o desempenho e reduzido a fadiga mental. No entanto, não está claro por que a dose menor foi mais eficaz que a dose mais alta.

Um terceiro estudo descobriu que tomar 400 mg de Panax ginseng por dia durante oito dias melhorou a calma e as habilidades matemáticas. Além disso, outros estudos encontraram efeitos positivos na função e no comportamento cerebral em pessoas com doença de Alzheimer (6, 7, 8).

[caption id="attachment_1699" align="aligncenter" width="300"]extrato de ginseng 200 mg BIOVEA Um extrato de panax ginseng de 200 mg por cápsula produzido pela BIOVEA.[/caption]

Poderia tratar a disfunção erétil masculina

Estudos mostram que ele poderia ser uma alternativa útil para o tratamento da disfunção erétil em homens.

Nossos dados mostram que o ginseng pode ser uma alternativa efetiva às abordagens invasivas para o tratamento da disfunção erétil masculina (ANDRADE et. al, 2007).
Nossos dados mostram que o ginseng vermelho coreano pode ser uma alternativa eficaz para o tratamento da disfunção erétil masculina (HONG, 2002)

Os compostos encontrados no ginseng podem proteger contra o estresse oxidativo nos vasos sanguíneos e tecidos do pênis e assim ajudar a restaurar a função normal do orgão (9, 10). Além disso, estudos mostraram que ele pode promover a produção de óxido nítrico, um composto que melhora o relaxamento muscular no pênis e aumenta a circulação sanguínea.

Um estudo descobriu que os homens tratados com ginseng vermelho coreano apresentaram uma melhora de 60% nos sintomas de disfunção erétil, em comparação com a melhoria de 30% produzida por uma medicação (trazodona).

Além disso, outro estudo mostrou que 86 homens com disfunção erétil apresentaram melhorias significativas depois de tomar 1.000 mg de extrato de ginseng envelhecido por 8 semanas .

A função erétil e os resultados de satisfação geral após a medicação foram significativamente maiores do que no grupo placebo. A função eréctil dos pacientes no grupo tratado com [ginseng] melhorou significativamente, sugerindo que ele poderia ser utilizada para melhorar a função erétil em pacientes do sexo masculino (KIM et. al, 2009).

No entanto, são necessários mais estudos para tirar conclusões definitivas sobre os efeitos dessa raiz no tratamento da disfunção erétil.

Pode fortalecer o nosso sistema imune

Os estudos que exploram os efeitos do ginseng sobre o sistema imunológico se concentram em pacientes com câncer submetidos a cirurgia ou tratamento de quimioterapia.

Um estudo seguiu 39 pessoas com câncer de estômago após procedimentos cirúrgicos, tratando com 5,400 mg de ginseng diariamente durante dois anos.

[...] Nossos dados [...] sugere[m] que [ele] melhorou os sintomas subjetivos e as funções imunes dos pacientes e evitou recorrências pós-operatórias (KIM, 1998).

Outro estudo examinou o efeito do extrato de ginseng vermelho em marcadores do sistema imunológico em pessoas com câncer de estômago avançado submetidas a quimioterapia pós-cirurgia.

Após três meses, aqueles que extraíam o extrato de ginseng vermelho tinham melhores marcadores do sistema imunológico do que aqueles no grupo controle ou placebo.

[...] Esses resultados sugerem que a ingestão pós-operatória do extrato de ginseng vermelho tem potencial para melhorar a imunidade anti-câncer [...] durante a quimioterapia pós-operatória (SUH et. al, 2004).

Mesmo que esses estudos citados mostrem melhorias do sistema imunológico em pessoas com câncer, é necessário mais pesquisas para entendermos melhor a eficácia do ginseng como fortalecedor do sistema imune.

Poderia ser benéfico na luta contra o câncer

Ele também pode ser útil na redução do risco de desenvolvimento de certos tipos de câncer. Os ginsenosídeos desta erva demonstraram ajudar a reduzir a inflamação e fornecer proteção antioxidante (11, 12, 13). Os ginsenosídeos poderiam beneficiar esse ciclo prevenindo a produção e crescimento de células anormais .

Uma revisão de vários estudos indicou que as pessoas que tomaram ginseng apresentaram um risco 16% menor de desenvolver câncer.

Identificamos nove estudos [...] avaliando a associação entre o consumo de ginseng e o risco de câncer; Esses estudos envolveram 7.436 casos e 334.544 participantes. [...] Os dados da meta-análise indicaram um risco significativo de 16% menor de desenvolver câncer em pacientes que consumiram ginseng (JIN et. al, 2016).

Um estudo observacional sugeriu que as pessoas que tomam ginseng podem ter menos probabilidades de desenvolver certos tipos de câncer, como câncer de lábio, boca, esófago, estômago, cólon, fígado e câncer de pulmão, do que aqueles que não tomam.

Embora estudos mostrem alguns benefícios para a prevenção do câncer, os resultados ainda permanecem inconclusivos.

Embora tenham sido obtidos alguns resultados favoráveis em alguns estudos destinados a investigar seus efeitos sobre a nasofaringite aguda, diabetes, doença de Alzheimer e disfunção erétil, é cedo para dizer algo conclusivo. Em pacientes com câncer, ele demonstrou ser eficaz na redução da fraqueza causada pelo câncer e seu tratamento. Por outro lado, o ginseng pode causar importantes interações com outros medicamentos, embora seja descrito como um produto relativamente seguro. Por agora, parece ser razoável usar o ginseng apenas para fraquezas relacionadas ao câncer em pacientes com câncer (UNLU et. al, 2016).

Pode combater o cansaço físico e aumentar a energia

Um estudo de quatro semanas explorou os efeitos de dar 1 ou 2 gramas de Panax ginseng ou placebo a 90 pessoas com fadiga crônica. A raiz mostrou efeitos antifadiga, em parte devido às suas características antioxidantes.

Outro estudo deu 364 sobreviventes de câncer experimentando fadiga tomaram 2.000 mg de ginseng americano ou um placebo. Após oito semanas, aqueles no grupo de ginseng apresentaram níveis significativamente mais baixos de fadiga do que os do grupo placebo.

Por fim, ma revisão de mais de 155 estudos sugeriu que os suplementos de ginseng podem não só ajudar a reduzir a fadiga, mas também poderiam melhorar o desempenho físico. Porém, os resultados não são conclusivos:

Descobrimos que não há evidência clínica suficiente para apoiar o uso de suplementos de ginseng na redução da fadiga e no aprimoramento do desempenho físico, pois apenas alguns estudos randomizados controlados com um pequeno tamanho de amostra foram publicados até o momento. É necessário estudos randomizados controlados maiores para confirmar a eficácia dos suplementos de ginseng na redução da fadiga (BACH, 2016).

Pode controlar o açúcar do sangue

O ginseng parece ser benéfico no controle da glicemia em pessoas com ou sem diabetes. O ginseng americano e asiático mostrou melhorar a função das células pancreáticas, aumentar a produção de insulina e aumentar a absorção de açúcar no sangue nos tecidos. Ele também ajuda ao fornecer proteção antioxidante que reduz os radicais livres nas células daqueles com diabetes (14, 15).

Um estudo avaliou os efeitos de 6 gramas de ginseng vermelho coreano, juntamente com a medicação ou dieta anti-diabética usual, em 19 pessoas com diabetes tipo 2. Eles foram capazes de manter um bom controle de açúcar no sangue ao longo do estudo de 12 semanas. Também apresentaram uma diminuição de 11% nos níveis de açúcar no sangue, uma diminuição de 38% na insulina em jejum e um aumento de 33% na sensibilidade à insulina.

Outro estudo mostrou que o ginseng americano ajudou a controlar os níveis de açúcar no sangue em 10 pessoas saudáveis ​​depois de realizarem um teste de tolerância à glicose:

Em indivíduos não diabéticos, 3, 6 ou 9 g de ginseng americano tomados 40, 80 ou 120 minutos antes de um teste de tolerância à glicose melhorou significativamente a tolerância à glicose (VUKSAN et. al, 2001).

Parece que o ginseng vermelho fermentado poderia ser ainda mais eficaz no controle do açúcar no sangue. O ginseng fermentado é produzido com a ajuda de bactérias vivas que transformam os ginsenosídeos em uma forma mais potente que pode ser mais facilmente absorvida pelo corpo. Um estudo mostrou que tomar 2,7 gramas de ginseng vermelho fermentado diariamente foi eficaz na redução do açúcar no sangue e no aumento dos níveis de insulina após uma refeição de teste, em comparação com um placebo.

Efeitos colaterais

De acordo com diversas pesquisas, o ginseng parece ser seguro e não deve produzir efeitos colaterais graves se usado corretamente. Porém ele pode sim causar efeitos colaterais, tais como:

  • diarréia
  • insônia
  • dores de cabeça
  • taquicardia
  • flutuações da pressão arterial

Em mulheres, ele pode causar efeitos colaterais adicionais, tais como sangramento vaginal e sensibilidade nos seios. Esses efeitos colaterais são graves o suficiente para que as mulheres que lutam contra o câncer de mama sejam orientadas a evitar tomar ginseng.

Pessoas que tomam medicamentos para diabetes devem monitorar seus níveis de açúcar no sangue de perto antes de usar o extrato ou suplemento dessa raiz para garantir que esses níveis não sejam muito baixos.

Além disso, o ginseng pode reduzir a eficácia de medicamentos anticoagulantes. Se você toma algum tipo de anticoagulante, não use o extrato ou suplemento dessa raiz. Pessoas que tomam inibidores da monoamina oxidase (IMAO) e remédios para pressão arterial não vem consumir essa raiz.

Como sempre recomendamos, consulte um médico antes de tomar qualquer tipo de suplementação ou extratos.

É recomendado que crianças ou mulheres que estão grávidas ou amamentando evitem tomar ginseng, seja em pó, seja suplementos.

Como tomar

Você pode tomar ele tanto em sua forma natural quanto extrato. O extrato de ginseng pode ser encontrado em formas em pó, comprimidos, cápsulas e óleos.

Sugere-se tomar as seguintes doses diárias:

1 a 2 gramas Raiz crua
200 a 400 mg Extrato ou suplemento

 

É recomendado começar tomando doses mais baixas e ir aumentando aos poucos. Assim, seu corpo vai se acostumando aos poucos. Tomar doses muito altas logo no começo poderia causar efeitos colaterais.

Há evidências que sugerem que o uso prolongado do ginseng pode diminuir sua eficácia. Deste modo, para maximizar seus benefícios, você deve tomá-lo por algumas semanas seguidas por períodos de pausa. Assim, sempre que você for tomá-lo, os efeitos sempre serão maiores.

Se você for usar o extrato, procure um que contenha de 2 a 3% de ginsenosídeos totais e tome-o antes das refeições para melhorar sua absorção.

***

Gostou desse artigo? Foi útil para você e esclareceu suas dúvidas? Comente logo abaixo e deixe a sua opinião sobre as informações aqui colocadas. 🙂

Betacaroteno: O que é, para que serve, benefícios e como tomar

O betacaroteno será o assunto deste artigo. Encontrado em diversos alimentos como cenoura, batata-doce e abóbora, esse antioxidante é importante para a saúde humana.

Após terminar a leitura deste post, você saberá o que é, para que serve, os benefícios que ele proporciona a nossa saúde, alimentos ricos neste antioxidante e se é bom mesmo.

Se você está com pressa e não tem tempo para ler todo o post, leia o resumo no final desse artigo.

O que é

O betacaroteno é um antioxidante desempenha um papel muito importante na saúde. Após ser ingerido, o corpo transforma esse carotenoide em vitamina A. Ele é responsável pela coloração vermelha, amarela e laranja de algumas frutas e vegetais.

O nome do antioxidante é derivado da palavra latina para cenoura (CAROTA). O betacaroteno foi descoberto pelo cientista H. Wackenroder, que cristalizou a partir de cenouras em 1831.

[caption id="attachment_1686" align="aligncenter" width="300"]cenoura betacaroteno Cenouras são um alimento rico em betacaroteno[/caption]

Para que serve e os benefícios à saúde

Antioxidantes como o betacaroteno servem para auxiliar o corpo a lutar contra os radicais livres. Há muitas evidências para apoiar a ingestão de antioxidantes, já que eles melhoram nossa saúde de várias maneiras. Entre os diversos benefícios que ele pode proporcionar à nossa saúde, podemos citar os seguintes:

  • Pode melhorar a função cognitiva

Em um estudo que envolveu mais de 4.000 homens durante um período de 18 anos, o consumo de betacaroteno por um longo período de tempo foi associado a uma desaceleração do declínio cognitivo. No entanto, nenhuma diferença significativa foi encontrada durante um período curto de consumo deste antioxidante.

  • Melhora a saúde da nossa pele

Tomar betacaroteno pode reduzir a sensibilidade ao sol para certas pessoas que possuem o transtorno sanguíneo protoporfiria eritropoiética (1). Outras pessoas com outros  tipos de doenças fotosensíveis também podem obter esse benefício.

O betacaroteno também pode reduzir o efeito de drogas fototóxicas (como a tetraciclinas, fenotiazinas, griseofulvina e dacarbazina). Outras pesquisas mostraram que ele também pode prevenir danos e contribuir para a manutenção da saúde e aparência da pele devido às suas propriedades antioxidantes.

No entanto, é preciso que mais estudos sobre o assunto sejam realizados para termos uma visão melhor sobre isso.

  • Pode contribuir para a saúde pulmonar

Um estudo recente envolvendo mais de 2.700 pessoas sugeriu que comer frutas e vegetais ricos em carotenóides, como betacaroteno, teve um efeito protetor contra o câncer de pulmão:

Em geral, os nossos resultados […] sugerem um efeito protetor dos antioxidantes selecionados contra câncer de pulmão[…]. Embora o tabagismo continue a ser o principal preditor do risco de câncer de pulmão, parece desejável, à luz desses achados, promover o consumo de frutas e vegetais ricos em carotenóides e vitamina C para reduzir o risco de câncer de pulmão entre fumantes e não fumantes.

Porém, os resultados das pesquisas sobre os benefícios do betacaroteno para quem fuma são mixos. O estudo citado logo acima sugere que esse antioxidante pode ajudar a previnir câncer de pulmão, mas este estudo, por outro lado, diz o oposto. Sob certas condições, o beta caroteno pode aumentar os riscos de fumantes desenvolverem câncer de pulmão.

  • Pode reduzir a degeneração macular

A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é uma doença que afeta a visão. De acordo com algumas pesquisas, tomar altas doses de betacaroteno em combinação com vitamina C, vitamina E, zinco e cobre podem reduzir o risco de DMRI avançada em 25%. Porém, os resultados das pesquisas são mixos. Segundo este estudo, “tomar suplementos de betacaroteno ou vitamina E não vai previnir ou retardar o desenvolvimento da DMRI“.

  • Pode previnir o risco de desenvolvimento de doença coronária

A produção de radicais livres pode favorecer o aparecimento de aterosclerose. Antioxidantes como o betacaroteno podem impedir parcialmente isso, por isso uma dieta rica em antioxidantes pode ser uma ferramenta útil na prevenção da doença arterial coronariana.

O benefício relatado em alguns estudos observacionais pode estar relacionado ao consumo de alimentos ricos em betacaroteno em vez da [suplementação], pois os alimentos ricos […] geralmente são ricos também em outras vitaminas e micronutrientes antioxidantes […]. Assim, uma recomendação razoável para a prevenção de doença coronária para a população em geral é consumir uma dieta equilibrada com ênfase em frutas e vegetais antioxidantes e grãos integrais (TAVANI, LA VECCHIA, 1999).

Com base nestes estudos (e outros não citados neste artigo, mas consultados), o betacaroteno é um antioxidante que serve para previnir o risco de desenvolvimento de câncer, de doença coronária (aterosclerose coronariana). Além disso, ele também melhora a saúde dos nossos olhos e da nossa pele.

Alimentos ricos em betacaroteno

O betacaroteno é encontrado principalmente em frutas e vegetais com cor vermelha, laranja ou amarelo. No entanto, vegetais de folhas escuras e vegetais verdes,  também contêm uma boa quantidade deste antioxidante.

Alguns estudos mostraram que quantidades mais elevadas de betacaroteno são encontradas em formas cozidas de frutas e vegetais em comparação com as crus. Como o betacaroteno converte-se na vitamina A lipossolúvel, é importante consumir esse nutriente com alguma gordura para melhorar absorção.

Os alimentos com betacaroteno em abundância que você pode e deve consumir são:

  • cenouras
  • batatas doces
  • verduras de folhas escuras, como couve e espinafre
  • alface romana
  • abóbora
  • cantalupo
  • pimentas vermelhas e amarelas
  • damascos
  • ervilhas
  • brócolis

Ele também pode ser encontrado em ervas e especiarias, tais como:

  • paprika
  • pimenta-caiena
  • pimenta
  • salsinha
  • coentro
  • manjerona
  • sábio
  • coentro

Lembre-se de comer essas frutas, vegetais e especiarias junto com uma gordura saudável como a do azeite, abacate, nozes e sementes. A gordura ajuda o nosso corpo a absorver melhor certos nutrientes como este que estamos falando.

Dosagem & como tomar

Não existe uma dose diária recomendada por orgãos brasileiros ou estrangeiros para esse micronutriente.  Como não há uma dosagem estipulada por orgãos de saúde, vamos usar as doses recomendadas pela Mayo Clinic, uma das clínicas mais conceituadas dos Estados Unidos.

De acordo com a Mayo Clinic, as doses diárias recomendadas de betacaroteno são as seguintes:

  • Adultos e adolescentes: 6 a 15 mg por dia.
  • Crianças: 3 a 6 mg por dia.

Ele também pode ser usado para tratar ou prevenir uma reação ao sol em pacientes com protoporfiria eritropoiética. Neste caso, a dose recomendada é:

  • Adultos e adolescentes: 30 a 300 mg por dia.
  • Crianças: 30 a 150 mg por dia.

Para tratar ou prevenir uma reação ao sol em pacientes com erupção de luz polimorfa, a dosagem recomendada é:

  • Adultos e adolescentes: 75 a 180 mg por dia.
  • Crianças: 30 a 150 mg por dia.

Lembre-se: Antes de considerar a suplementação, sempre fale com seu médico sobre suas necessidades individuais e quaisquer riscos envolvidos. Certos medicamentos, seu estilo de vida, entre outros fatores, podem influenciar a dosagem e as necessidades nutricionais.

Efeitos colaterais

Suplementar sua dieta com betacaroteno pode aumentar o risco de câncer de pulmão em fumantes e pessoas com asbestose. Uma revisão de estudos publicados nas últimas três décadas envolvendo 109.394 indivíduos revelou que a suplementação de betacaroteno aumentou significativamente o risco de câncer de pulmão em fumantes. O risco de desenvolver câncer de pulmão foi maior entre os fumantes que tomaram multivitamínicos que continham betacaroteno.

Quatro estudos com 109.394 pessoas estavam disponíveis para análise. A dose diária média de betacaroteno nestes estudos variou de 20 a 30 mg por dia. Entre os fumantes, a suplementação foi associada a um risco maior de câncer de pulmão. Entre os ex-fumantes, não houve aumento significativo observado.

Esta revisão contrasta com os resultados de um estudo de 1996. O estudo descobriu que tomar 50 mg de betacaroteno a cada dois dias durante 12 anos não produziu aumento na incidência de câncer de pulmão nos 22 mil homens envolvidos no estudo. Esses homens eram fumantes ou ex-fumantes.

[…] não houve diferenças significativas no número de casos de câncer de pulmão (82 no grupo betacaroteno versus 88 no grupo placebo); [n]o número de mortes por câncer (386 vs. 380), óbitos por qualquer causa (979 vs. 968) ou óbitos por doença cardiovascular (338 vs 313)

Ou seja, o betacaroteno pode ou não causar danos à saúde de fumantes (dependendo de qual estudo você quer confiar). Se é fumante, evite tomar suplementos de betacaroteno ou multivitamínicos  que possam conter esse antioxidante. Porém, obter betacaroteno através da alimentação mostrou-se seguro e, na verdade, diminui o risco de câncer e também a doença cardíaca.

Se você não é fumante ou não possui asbestose, você pode tomar suplementos que possam conter betacaroteno sem problemas.

Resumo

  • o betacaroteno é um antioxidante carotenóide
  • Serve para diminuir ou previnir riscos de desenvolvermos câncer de pulmão e doença coronária
  • Ele melhora a saúde da pele e dos nossos olhos
  • É um antioxidante encontrado principalmente em cenouras e batatas
  • É seguro para o consumo
  • Em fumantes, tomá-lo em suplementos pode aumentar os riscos do desenvolvimento de câncer de pulmão

https://youtu.be/HMYTaREsMjs

 

Vitamina D3 vs. Vitamina D2: Qual a diferença entre elas?

A vitamina D é mais do que apenas uma vitamina. É uma família de nutrientes que compartilha semelhanças na estrutura química.

Em nossa dieta dieta, as vitamina D2 e D3 são as que nós mais consumimos. Embora ambos os tipos ajudem a atender seus requisitos de vitamina D, elas são diferentes entre si.

Pesquisas sugerem que a vitamina D2 é menos eficaz do que a vitamina D3 na elevação dos níveis sanguíneos de vitamina D.

Este artigo resume as principais diferenças entre vitamina D2 e D3 e para o que elas servem.

vitamina d3 d2

O que é vitamina D?

A vitamina D (incluindo a vitamina D3 e a vitamina D2) é uma vitamina solúvel em gordura. Ela serve para promover a absorção de cálcio e fósforo, regular o crescimento ósseo e também desempenha um papel na função imune.

Nossa pele produz vitamina D quando exposta à luz solar. No entanto, se passarmos maior parte do tempo dentro de casa ou viver em um lugar de alta latitude (próximo aos pólos sul e norte), precisaremos obter essa vitamina através da ingestão de alimentos.

Peixes gordurosos, óleos de peixe, gema de ovo, manteiga e fígado são exemplos de alimentos que são boas fontes de vitamina D.

Para evitar sintomas de deficiência, certifique-se de comer alimentos ricos em vitamina D com regularidade, tomar um banho de sol ou usar suplementação.

Uma vez que a vitamina D é solúvel em gordura, é melhor escolher suplementos à base de óleo ou tomar junto alimentos que contenham alguma gordura.

A vitamina D vem em duas formas principais:

  • Vitamina D2 (ergocalciferol)
  • Vitamina D3 (colecalciferol)

A diferença entre a vitamina D2 e a vitamina D3 serão discutidas com mais detalhes logo abaixo.

Vitamina D3 versus Vitamina D2

Nossa pele produz vitamina D3 quando exposta à luz solar. Se você passar regularmente o tempo ao ar livre, com poucas peças de roupas cobrindo o seu corpo e sem protetor solar, você já pode estar recebendo toda a vitamina D que você precisa.

Para pessoas que vivem mais próximas ao Equador, meia hora ao sol do meio-dia duas vezes por semana fornece a quantidade adequada de vitamina D3 que o corpo precisas (1).

Ao contrário da vitamina D consumida através da dieta, você não consegue sobredosar a vitamina D3 produzida em sua pele. Se o seu corpo já tiver o suficiente, sua pele simplesmente produz menos vitamina D3.

Porém, muitas pessoas recebem muito pouco sol. Eles trabalham em ambientes fechados ou vivem em um país que não tem muita luz solar durante o inverno (se você que quem mora no Brasil não sofre com deficiência de vitamina D, saiba que um enorme porcentagem de brasileiros tem dificiência em vitamina D ) . Se isso se aplica a você, certifique-se de comer regularmente alimentos ricos em vitamina D.

A vitamina D2 e ​​D3 não são iguais quando se trata de aumentar seus níveis de vitamina D.

Ambos são absorvidos na corrente sanguínea. No entanto, o fígado metaboliza-os de forma diferente. O fígado metaboliza a vitamina D2 em 25-hidroxivitamina D2 e ​​vitamina D3 em 25-hidroxivitamina D3. Estes dois compostos são coletivamente conhecidos como calcifediol.

O calcifediol é a principal forma circulante da vitamina D, e seus níveis sanguíneos refletem as reservas do seu corpo desse nutriente. Por esse motivo, seu médico pode verificar se você tem deficiência em vitamina D medindo seus níveis de calcifediol (2).

No entanto, a vitamina D2 parece produzir menos calcifediol do que uma quantidade igual de vitamina D3. A maioria dos estudos mostra que a vitamina D3 é mais eficaz do que a vitamina D2 na elevação dos níveis sanguíneos de calcifediol (3, 4). Um estudo com 32 mulheres idosas descobriu que uma única dose de vitamina D3 era quase duas vezes mais efetiva que a vitamina D2 na elevação dos níveis de calcifediol.

Se você está tomando ou pretende tomar de suplementos, escolha suplementos que contenham vitamina D3 e não a vitamina D2.

D2 x D3

Vitamina D2 Vitamina D3
Mais comum em plantas Mais comum em animais
Aumenta moderadamente o calcifediol no sangue Aumenta bastante o calcifediol no sangue
Em suplementos e alimentos industrializados é mais comum usar vitamina D2 criada sinteticamente A vitamina D3 é encontrada em suplementos. Geralmente é natural
É a pior das duas É a melhor das duas

 


Alimentos ricos em Vitamina 3 e Vitamina D2

A vitamina D3 só é encontrada em alimentos de origem animal, enquanto a D2 vem principalmente de fontes de plantas e alimentos fortificados.

Fontes de vitamina D3

  • Peixes gordurosos e óleo de peixe
  • Fígado
  • Gema de ovo
  • Manteiga
  • Suplementos dietéticos

Fontes de vitamina D2

  • Cogumelos (cultivados em luz UV)
  • Alimentos fortificados (cereais matinais, arroz, macarrão e outros produtos industrializados)
  • Suplementos dietéticos

Como a vitamina D2 é mais a barata de produzir, ela é a forma mais comum encontrada em alimentos fortificados.


Dosagem

Se você pegar meia hora de sol por dia você não precisará de suplementos de vitamina D e nem obter ela dos alimentos. Se corpo já produzirá toda a vitamina D que ele precisa.

Se você tomar suplementos de vitamina D, certifique-se de não exceder o nível de ingestão superior seguro, que é de 4.000 UI (100 microgramas) por dia para adultos (5).

De acordo com o  Instituto de Medicina dos Estados Unidos, a média recomendada é 400-800 UI (10-20 microgramas), mas quem toma suplementos geralmente toma de de 1.000 a 2.000 UI (25 a 50 microgramas) por dia.

Para saber sobre a vitamina D, leia este artigo.

Resumindo

  • A vitamina D3 é encontrada em alimentos de origem animal, enquanto que a vitamina D2 é encontrada em alimentos de origem vegetal.
  • A vitamina D3 é uma vitamina de melhor qualidade que a vitamina D2.
  • Essas duas vitaminas são conhecimentos coletivamente como calcifediol.
  • Calcifediol é a principal forma de vitamina D encontrada no nosso sangue.
  • A vitamina D3 produz mais calcifediol que a mesma quantidade de vitamina D2.
  • A vitamina D é importante para os nossos óssos, pois serve para promover a absorção de cálcio e fósforo, regular o crescimento ósseo. Ela também é importante para o sistema imune.
  • A dose recomendada de vitamina D é de 800 UI por dia, mas você pode consumir até 4000 UI sem problemas.

5 suplementos para emagrecer com saúde e queimar gorduras

Como emagrecer com saúde rápido e sem stress? Alguns vão dizer que isso é impossível e outros vão argumentar que só é possível perder peso rápido com saúde com remédios para emagrecedor como a sibutramina. Mas você sabia que alguns suplementos podem te ajudar a queimar gorduras e a emagrecer mais rápido?

Suplementos queimadores de gordura são suplementos que podem aumentar seu metabolismo, reduzir a absorção de gordura ou ajudar o corpo a queimar gorduras como combustível.

Vários desses suplementos naturais disponíveis no mercado podem te ajudar a queimar gorduras e a emagrecer com saúde.

Este artigo lista os 5 melhores suplementos para te ajudar a queimar gorduras.

Cafeína

A cafeína é uma substância encontrada no café, chá verde, cacau, entre outros produtos naturais. É também um ingrediente popular em suplementos comerciais de queima de gordura – e por uma boa razão. Ela pode ajudar a aumentar seu metabolismo e ajudar seu corpo a queimar mais gordura e a emagrecer com saúde.

Pesquisas mostram que a cafeína pode aumentar seu metabolismo temporariamente em até 16% durante uma a duas horas (1, 2, 3).

Além disso, vários estudos mostram que a cafeína pode ajudar seu organismo a queimar gorduras como combustível. No entanto, esse efeito parece ser mais forte em pessoas magras do que pessoas obesas (4, 5, 6).

O consumo constante de cafeína pode tornar o seu corpo mais tolerante aos seus efeitos, tornando-a menos eficaz.

Para colher todos os benefícios da cafeína, você não precisa tomar um suplemento. Basta beber algumas xícaras de café forte, que é uma excelente fonte de cafeína com muitos benefícios para a saúde.

[caption id="attachment_773" align="aligncenter" width="350"]kimera thermo resenha O Kimera é um popular suplemento de cafeína (site oficial)[/caption]

Extrato de Chá Verde

O extrato de chá verde que você compra em lojas de suplementos e produtos naturais é simplesmente uma forma concentrada de chá verde. Ele fornece todos os benefícios do chá verde em uma forma conveniente de pó ou cápsula.

O extrato de chá verde também é rico em cafeína e o galato de epigalocatequina de polifenóis (EGCG), ambos compostos que podem ajudá-lo a queimar gorduras (7, 8).

Além disso, esses dois compostos se complementam e podem ajudá-lo a queimar gorduras através de um processo chamado termogênese. Em termos simples, a termogênese é um processo em que seu corpo queima calorias para produzir calor (9, 10, 11).

Por exemplo, uma análise de seis estudos descobriu que tomar uma combinação de extrato de chá verde e cafeína ajudou as pessoas a queimar 16% mais de gordura do que um placebo. Em outro estudo, cientistas compararam os efeitos de um placebo, cafeína e uma combinação de extrato de chá verde e cafeína sobre a queima de gordura. Eles descobriram que a combinação de chá verde e cafeína queimava aproximadamente 65 calorias por dia a maisdo que a cafeína sozinha e mais 80 calorias do que o placebo.

Se você decidir tomar o extrato de chá verde, uma dose de 250-500 mg por dia é a ideal para você conseguir emagrecer com saúde. Isso proporcionará os mesmos benefícios que beber de 3 a 5 xícaras de chá verde por dia.

[caption id="attachment_1659" align="aligncenter" width="300"]como emagrecer com saúde tomando extrato de cha verde O Extrato de chá verde pode te ajudar a emagrecer com saúde[/caption]

Proteína

A proteína é incrivelmente importante para a queima de gorduras. Uma alta ingestão de proteínas pode te ajudar a queimar gorduras, aumentando o metabolismo e diminuindo o seu apetite. Proteínas também ajudam o seu corpo a manter a massa muscular (12, 13, 14).

Um estudo em 60 participantes com sobrepeso e obesidade descobriu que uma dieta rica em proteínas (25% de proteínas na dieta) era quase duas vezes mais efetiva que uma dieta de proteína mais moderada (12% de proteínas) na queima de gordura.

A proteína também pode diminuir o seu apetite, aumentando os níveis de hormônios da sociedade como GLP-1, CCK e PYY, enquanto reduz os níveis de hormonas ghrelina, o “hormônio da fome” (15).

Você pode obter todas as proteínas que você precisa através da ingestão de alimentos ricos em proteínas, mas se você não consegue comer proteína suficiente diariamente, você pode tentar suplementação. Eles são uma maneira conveniente de aumentar a ingestão de proteínas.

As opções incluem Whey protein, caseína, proteína de soja e albumina. No entanto, é importante escolher um suplemento de proteína com baixo teor de açúcar e outros carboidratos, especialmente se o seu objetivo é perder peso e emagrecer com saúde.

Os suplementos de proteínas devem substituir lanches ou parte de uma refeição, em vez de serem adicionados em cima da sua dieta. Caso contrário, você estará consumindo mais calorias do que você precisa e pode acabar engordando ao invés de emagrecer.

A quantidade ideal de proteína que você pode consumir por dia é de 1 a 2 colheres (25 a 50 gramas) de proteína em pó.

Fibra solúvel

Existem dois tipos diferentes de fibras: as solúveis e insolúveis. A fibra solúvel absorve água no seu aparelho digestivo e forma uma substância viscosa tipo gel. Estudos mostram que a fibra solúvel pode ajudar a queimar gorduras, reduzindo sua fome (16, 17, 18).

A razão disso é porque a fibra solúvel pode ajudar a aumentar os níveis de hormônios da saciedade como PYY e GLP-1. Ela também pode ajudar a reduzir os níveis do “hormônio fome” ghrelina (19).

Além disso, a fibra solúvel ajuda a diminuir a liberação de nutrientes para o intestino. Quando isso acontece, seu corpo leva mais tempo para digerir e absorver nutrientes, o que pode deixá-lo com a sensação de estar cheio por mais tempo, reduzindo assim sua vontade de comer.

A fibra solúvel também pode ajudá-lo a queimar gorduras reduzindo a quantidade de calorias que você absorve dos alimentos. Em um estudo, 17 pessoas fizeram dietas com quantidades variáveis ​​de fibras e gorduras. O estudo descobriu que as pessoas que comeram mais fibras absorveram menos gorduras e menos calorias durante a dieta. Essas pessoas emagreceram com saúde graças às fibras solúveis!

Você pode obter toda a fibra solúvel que você precisa através da alimentação. Mas se você preferir, você pode tomar um suplemento rico em fibra solúveis como o glicomanano ou o psyllium.

[caption id="attachment_1660" align="aligncenter" width="300"]psyllium Plantago ovata, planta de onde é extraído o psyllium.[/caption]

Yohimbina

A Yohimbina é uma substância encontrada na casca de Pausinystalia yohimbe, uma árvore encontrada na África Central e Ocidental. Ela é comumente usada como um afrodisíaco, mas também possui propriedades que podem ajudá-lo a queimar gorduras.

A Yohimbina funciona bloqueando receptores chamados receptores adrenérgicos alfa-2. Estes receptores normalmente ligam a adrenalina para suprimir seus efeitos, um dos quais é encorajar o corpo a queimar gorduras como combustível. Como a yohimbina bloqueia esses receptores, ela pode prolongar os efeitos da adrenalina e promover a queima de gordura (20, 21, 22, 23).

Um estudo com 20 jogadores de futebol de elite descobriu que tomar 10 mg de yohimbina duas vezes ao dia ajudou a queimar 2,2% de sua gordura corporal, em média, em apenas três semanas. Tenha em mente que esses atletas já eram bem magros, ou seja, uma redução de 2,2% na gordura corporal é algo impressionante.

Além disso, estudos em animais mostraram que a yohimbina pode ajudar a reduzir o apetite. No entanto, como a quantidade de estudos com essa essa substância ainda é pequena, é necessário que saibamos mais informações sobre a yohimbina para ser recomendada como um suplemento de queima de gordura.

A yohimbina mantém seus níveis de adrenalina elevados, o que pode causar efeitos colaterais como náuseas, ansiedade, ataques de pânico e hipertensão arterial (24).

Ela também pode interagir com medicamentos comuns para pressão arterial e depressão. Se você toma medicamentos um desses tipos de medicamentos, evite tomar yohimbina (25).

[caption id="attachment_1661" align="aligncenter" width="300"]Pausinystalia yohimbe Pausinystalia yohimbe, a árvore de onde a yohimbina é extraída[/caption]

Outros suplementos naturais que podem ajudar a queimar gordura

Há vários outros suplementos naturais existentes no mercado que podem ajudá-lo a perder peso com saúde. No entanto, eles pode apresentar efeitos colaterais ou a evidência científica quanto ao seu papel emagrecedor ainda não é conclusiva.

Entre esses suplementos que pode te ajudar a emagrecer com saúde, podemos citar os seguintes:

  • 5-HTP: o 5-HTP é um aminoácido e precursor do hormônio serotonina. Ele pode te ajudar a queimar gorduras, reduzindo seu apetite e aquele vontade de comer carboidratos. No entanto, p 5-HTP pode interagir com medicamentos para depressão (26, 27).
  • Synephrine: a Synephrine é uma substância abundante em laranjas amargas. Algumas evidências mostram que ele pode ajudar a queimar gorduras, mas apenas poucos estudos confirmam essas descobertas (28, 29).
  • Café verde: pesquisas mostram que café verde pode ajudar a emagrecer com saúde mais rápido. No entanto, alguns desses estudos são patrocinados por seus fabricantes de suplementos de café verde, o que causa um conflito de interesses e uma dúvida sobre a veracidade (30, 31).
  • CLA (ácido linoleico conjugado): CLA é um grupo de ácidos graxos ômega-6 que pode faciltar a queima de gorduras. Seus efeitos gerais parecem fracos e a evidência sobre a eficácia do CLA como queimador de gorduras natural é mista (32, 33).
  • L-carnitina: alguns estudos mostram que a carnitina pode ser um bom queimar gorduras, mas as evidências disso não são confirmadas por outros estudos (34, 35).

Conclusão


Existem alguns suplementos feitos de produtos naturais que podem te ajudar a queimar gorduras e no processo, emagrecer com saúde. Os melhores são os 5 primeiros listados: a Yohimbina, o chá verde, a fibra solúvel, proteínas e a cafeína. Além dos já citados neste artigo, há outros suplementos que poderiam ajudar na queima de gordura e perca de peso, mas como nem todos foram exaustivamente estudados, sua eficácia não pode ser 100% confirmado.

Se você precisa ou quer perder gorduras, use um dos 5 produtos naturais aqui listados, seja em forma de suplementos ou através da alimentação. Lembre-se que a suplementação não substitui uma dieta saudável e lembre-se também que você não vai emagrecer com saúde se você consumir mais calorias que você queima.

Dito isso, esperamos que esse artigo tenha sido útil e tenha ajudado a tirar suas dúvidas. 🙂